Bagunça e Baderna

ZéVitor

Recomeçar é bagunça e baderna
É tanta dor, dá medo de pensar em te perder
Me deixa agora ou mergulha comigo
É sério amor, milênios pra eu encontrar você

Alguns instantes tudo isso termina
Por que você não vem comigo pra Bahia?
O mar revolta, a tempestade vira
Virei refém desse amor, menina

É ilusão dizer que nós não somos do mesmo inteiro
Que os meus sonhos são bobos, traiçoeiros
E acreditar em nós é ser rebelde, desordeiro
Eu não acredito nisso
Prefiro acreditar em toda poesia
Que ela muda mundos e transforma vidas
E que ela te trará pra mim algum um dia

Eu morro aos poucos, como não?
A cabeça vem lutando contra o caos do coração
Meu zelo vira um mostro pronto pra ação
E o desgaste corresponde a destruição

Gata, memória me maltrata
E eu lembro de você em cada cômodo da casa
Gata, memória me maltrata
E eu lembro de você em cada cômodo da casa

Recomeçar é bagunça e baderna
É tanta dor, dá medo de pensar em te perder
Me deixa agora ou mergulhe comigo
É sério amor, milênios pra encontrar você

Alguns instantes e tudo isso termina
Por que você não vem comigo pra Bahia?
O mar revolta, a tempestade vira
Virei refém desse amor, menina

Esse silêncio não vai mais nos esvaziar
Enchendo-nos de coisas as quais vão afogar
Em pensamentos que não vêm o nosso amor salvar
Escolha entre estar aqui ou nos deixar

Sufocado, meu amor morto no front
O jeito que eu queria se perdeu no horizonte
Quem estava muito, muito perto, foi pra longe
Possibilidades e o ontem

Recomeçar é bagunça e baderna
É tanta dor, dá medo de pensar em te perder
Me deixa agora ou mergulhe comigo
É sério amor, milênios pra encontrar você

Alguns instantes e tudo isso termina
Por que você não vem comigo pra Bahia?
O mar revolta, a tempestade vira
Virei refém desse amor, menina

Composição: ZéVitor
Enviada por Evanildo.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog