O Jeito Que Fala

ZéVitor

O jeito que fala com todos
Você fala comigo, e eu me sinto tão mal
E eu aqui te tratando com palavras escolhidas
Pelo amor protonauta espacial

Perfeito esse teu cuidado
Com nosso carinho fosse especial
E daí os outros verem o que entre a gente
Já é mais que normal?

Certo, meu amor, se tens que me esconder
Eu que não quero mais ficar
Tão incerto estou

Se eu tiver que responder prefiro me calar
Tudo bem, me vou, com destino de partir e não mais voltar
Você machucou tanto meu coração que ele não quer mais amar

Pelo menos regue aquela orquídea que eu te dei
A flor não tem culpa de nada
A flor não tem culpa do que você não fez e do que eu projetei
A mente que é culpada

Pelo menos use aquelas joias
Que ficam tão lindas pendurada noutra joia
Que é você
Talvez não fosse o momento
E pra ganhar eu tenha que perder

E, pra te amar, eu me perdi
Bem me quer ou mal me quer
Foi assim que me senti
Seja então como quiser

E sei que habita outro em teu coração
Imagino como então as coisas seriam
Sonhei que pegava na tua mão
Me recordei das sensações que lá floriam

Meu jardim brilhou contigo
Tinha mais flores, mais cores e era mais vivo
Mas morreram tantas mudas ultimamente
Que eu ando achando que o problema é comigo

Talvez um dia essa dor me mate
Se me abandonas tu e levas minha arte
O medo me abraçou e o breu está por toda parte

Perdemos potência
Não fomos nem à estratosfera
Dizem que o tempo é ciência
E tivemos em mãos segredos como Tesla

Mas nos faltou coragem
De, no impulso, fugir da margem
Isso me faz tantas cicatrizes
Mas, talvez, elas sejam uma grande bobagem

E, pra te amar, eu me perdi
Bem me quer ou mal me quer
Foi assim que me senti
Seja então como quiser

Composição: ZéVitor
Enviada por Evanildo. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog