El Arrepentido (part. Carlos Vives)

Melendi

Original Tradução Original e tradução
El Arrepentido (part. Carlos Vives)

Hoy voy a contar la historia
Del arrepentido
Que viviendo en la memoria
Se perdió el camino

Es hermano de ese que anda
Siempre en el futuro
Pasa temporadas largas
Sordo, ciego y mudo

Hoy voy a cantarte la canción
Del arrepentido

Si saltas vives
Pero hay que saltar pa' 'dentro
Y no hay parada de metro
Que nos lleve a ese lugar

Donde los miedos
Se confunden con la vida
Y no queda otra salida
Que volvernos a encontrar
Con el presente

El que nos lleva las cuentas pendientes
Del más humilde hasta el más influyente
El que te dice, oye Melendi, pórtate bien
Vamos pa' oviedo que nos deja el tren

Hoy voy a contar la historia
Del que busca afuera
Queriendo encontrar culpables
Para sus problemas

Ese que va por la vida
Con la razón siempre
Y no sabe que no existe
Eso que defiende

Hoy voy a cantarte la canción
Del arrepentido

Si saltas vives
Pero hay que saltar pa' 'dentro
Y no hay parada de metro
Que nos lleve a ese lugar

Donde los miedos
Se confunden con la vida
Y no queda otra salida
Que volvernos a encontrar
Con el presente

Donde huyen a los fantasmas
Y se ahogan las supersticiones
Donde todo el mundo baila al ritmo
De los corazones

Ay donde todos los miedos, Carlos
Se desaparecen
Donde todas las tristezas se van
Cuando me ven aparecer

Si saltas vives
Pero hay que saltar pa' 'dentro
Y no hay parada de metro
Que nos lleve a ese lugar

Donde los miedos
Se confunden con la vida
Y no queda otra salida
Que volvernos a encontrar

Despierta, con cada segundo que pasa
Se cierra una puerta
En cada mirada perdida se muere un paisaje
Que cada momento que vuela no vuelve

Despierta, conecta
Tu cuerpo mediante la mente, la fuente
Que mueve hasta lo que no ves
Porque crees que es inerte

Y así podrás al fin saber lo que grita el planeta
Ya llego la hora de que miremos dentro
Despierta

O Arrependido (part. Carlos Vives)

Hoje eu vou contar a história
Do arrependido
Que vivendo na memória
Se perdeu pelo caminho

Ele é irmão daquele que anda
Sempre no futuro
Passa longas temporadas
Surdo, cego e mudo

Hoje eu vou cantar a canção
Do arrependido

Se você pular, você vive
Mas você tem que pular para dentro
E não há parada de metrô
Que nos leve a esse lugar

Onde os medos
Se misturam com a vida
E não resta outra saída
Que voltar a encontrar
Com o presente

Aquele que nos leva as contas pendentes
Do mais humilde ao mais influente
Aquele que te diz, ei, Melendi, se comporta
Vamos para Oviedo que o trem nos deixa

Hoje eu vou contar a história
Daquele que procura fora
Querendo encontrar culpado
Por seus problemas

Aquele que passa pela vida
Sempre com a razão
E não sabe que não existe
Isso que defende

Hoje eu vou cantar a canção
Do arrependido

Se você pular, você vive
Mas você tem que pular para dentro
E não há parada de metrô
Que nos leve a esse lugar

Onde os medos
Se misturam com a vida
E não resta outra saída
Que voltarmos a encontrar
Com o presente

Onde fogem para os fantasmas
E afogam as superstições
Onde todos dançam ao ritmo
Dos corações

Aí onde todos os medos, Carlos
Se desaparecem
Onde todas as tristezas se vão
Quando me vêem aparecer

Se você pular, você vive
Mas você tem que pular para dentro
E não há parada de metrô
Que nos leve a esse lugar

Onde os medos
Se misturam com a vida
E não resta outra saída
Que voltarmos a encontrar

Acorda, com cada segundo que passa
Uma porta se fecha
Em cada olhar perdido, uma paisagem morre
Que todo momento que voa não volta

Acorda, se conecta
Seu corpo através da mente, a fonte
Que move até para o que você não vê
Porque você acha que é inerte

E então você pode finalmente saber o que o planeta grita
Chegou a hora de olhar para dentro
Acorda!

Composição: Melendi / Carlos Vives
Enviada por Beatriz e traduzida por Waleska. Legendado por Yolanda. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog