No Peito de Toda a Gente

Duarte

O coração tem três filhos
Da sua mulher saudade
São seus nomes de batismo
Amor, tristeza e maldade!

Quando nasceu o amor
Tão felizes da ventura
Foram logo convidar
Para madrinha, a ternura

Mas quando iam procurar
Quem servisse de padrinho
Logo calhou encontrar
O ciúme no caminho

Quando nasceu a tristeza
Foram logo convidar
Pra madrinha a incerteza
Que logo quis aceitar!

Em casa dela encontraram
Um filho da ilusão
Pra padrinho o convidaram
Por lhe terem afeição

Quando nasceu a maldade
Logo sua mãe deseja
E seu pai tem por vontade
Convidarem a inveja

Sendo a inveja madrinha
Ali mesmo se presume
Convidar mais uma vez
O seu marido ciúme

Padrinhos e afilhados
Ficou de futuro assente
Viverem sempre abrigados
No peito de toda a gente!


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Duarte

Ver todas as músicas de Duarte