Mal Súbito

Duarte

Eu que não queria mais olhar na tua cara
Me reencontrei com desespero habitual
Eu que agradeço a distância que nos separa
Tive um mal súbito
Travou o meu peito engasgou a minha fala
E tirou proveito do meu medo natural
Quando eu te vejo o meu rosto escancara o meu incômodo

Difícil entender, como é que você ainda me afeta tanto
Evito dizer mas se eu te ver me recolho em espanto
Inutilmente eu tento esquecer o nome que eu canto
Repito que eu superei teu gosto e entretanto

Na rua do bairro na virada da esquina
Um vislumbre teu já é o que pode derrubar
Saindo de casa às dez horas da matina
Cê me vê em plácido
Tudo indica que eu estou sozinho na rotina
Nessa insanidade que insiste em se mostrar
Inerte no inferno que nem mesmo a medicina soube antídoto

Difícil entender, como é que você ainda me afeta tanto
Evito dizer mas se eu te ver me recolho em espanto
Inutilmente eu tento esquecer o nome que eu canto
Repito que eu superei teu gosto e entretanto

Eu que não queria mais olhar pra tua cara
Tentei encaixar o meu semblante trivial
Quando você veio, sem pensar lhe pus à escada
Fiz o teu túmulo

Composição: Guilhermy Duarte
Enviada por Gustavo. Legendado por Maria. Revisão por Bianca.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Duarte

Ver todas as músicas de Duarte