Jogo da Vida

Potyguara Bardo

Tá doendo, mas já vai passar, já passei por aqui
Cada vez que retorna a tristeza encolheu em mim
Se a luz do túnel vier me chamar, é só sintoma da dor
Que distrai do caminho ao perdão de tudo que eu sou

Ao dia nublado anoitecer, o breu vem pra me envolver
Momentos antes de raiar o sol sempre morrerá
Se a noite clara amanhecer, novas lições vou aprender
A um novo nível vou chegar nesse jogo da vida

Jogo da vida

Já é hora de recomeçar, devo ir sem saudade
Me iludir, pois na desilusão que se vê a Verdade
Evoluindo pra me adaptar à minha própria companhia
Que é a última e a mesma aqui desde o primeiro dia

Alheio às regras, fadiga se reinventar
Pois também vive alheio aonde vai chegar
A roda viva carrega tudo pra lá
Nenhum macete vai te ensinar a jogar

Jogo da vida

Ao dia nublado anoitecer, o breu vem pra me envolver
Momentos antes de raiar o sol sempre morrerá
Se a noite clara amanhecer, novas lições vou aprender
A um novo nível vou chegar nesse jogo da vida

Ao dia nublado anoitecer, o breu vem pra me envolver
Momentos antes de raiar o sol sempre morrerá
Se a noite clara amanhecer, novas lições vou aprender
A um novo nível vou chegar nesse jogo da vida

Jogo da vida

Composição: Potyguara Bardo
Enviada por Higo.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog