Querubim (Rosa, Flor Mulher)

Mauro Diniz

Disse um querubim
Que olhou pra mim
E ao me ver assim
Desejando o próprio fim

Amigo
O teu mal foi querer dar tratamento de anjo
A quem não tem vocação pra ser arcanjo
Como pode ser Santa sem jamais ter pisado no céu

Um bom companheiro
Que é jardineiro
Ao me ver cabreiro
Prestes a rasgar dinheiro

Me disse
Que essa santa que eu jurava ser a rosa
Dentre as flores é a mais maliciosa
É a santa flor mulher

E por onde passei
Tive outros exemplos
Dos castelos dos reis
Ao mais humilde templo

Ninguém pode definir exatamente
Ou sequer passar rente
Quem falou que ela é serpente
Não passou de pretendente

Quem tentou sintetizar a flor mulher
Quem tentou se apropriar da flor mulher
Não se pode duvidar de uma mulher
Quem sonhou um dia quis e ainda quer

Composição: Serginho Meriti
Enviada por Gabriel. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog