Apoteose Ao Samba

Mauro Diniz

Samba, quando vens ao meus ouvidos
Embriaga meus sentidos, traz inspiração
A dolência que possui na estrutura, é uma sedução
Vai alegrar o coração daquela criatura
Que, com certeza esta sofrendo de paixão
Samba,soprado por muitos ares
atravessaste os sete mares, com evolução
O teu ritmo quente torna ainda mais ardente
Quando vem da alma de nossa gente
Quero que sejas sempre meu amigo leal, não me abandone não
Vejo em ti o lenitivo ideal, em todosos momentos de aflição
És meu companheiro inseparavél de tradição
Devo-lhe toda gratidão
Samba eu confesso, és a mnha alegria
Eu canto pra esquecer a nostalgia

Composição: Mano Décio da Viola / Silas De Oliveira
Enviada por felipe. Revisão por José.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog