Antes Que As Libélulas Entrem Em Extinção

Edgar

Entre universos e âmagos, que para mim é a mesma coisa
Sou só mais um ângulo
Buscando a praia e o desfile de carnaval
E não ser mal interpretado
Seu pau me ama, mas eu não amo seu pau, percebendo que você só pensa com a cabeça de baixo
E tudo questão de desgosto, ou de gosto nacional
Você prefere explodir na bomba relógio que é o sucesso
Ou simplesmente morrer sem ser incomodado pelo seu nome
Depende de qual reação você tem a anúncios de TV, é tudo questão de disposição
Tomar o playboy ou se tornar o playboy
Me sinto como se eu fosse o cachorro de estimação do meu celular
Toda vez que ele assubia eu vou correndo para olhar, passar a mão, dar atenção
Eu nem sei mais quem é o dono
Creia se quiser, se não quiser crê não creia
Mas estamos se juntando nas praças para debater desde mutualismo a como as aranhas vão tecendo suas teias
Parecida com as nossas velhinhas fazendo crochê em frente de suas casas
Peço emprestado às asas dos insetos para que nós podemos ver mais de perto como a morte e linda aos fins de tarde
Mas não quando se joga uma bomba em Alepo

Vou me embora agora, pois ainda tem gente querendo entrar
Outrora eu volto, aurora eu volto ainda ei de voltar
Como entes mortos, um dia aprenderei a voar
Quem sabe eu possa ser a parte que falta na asa de alguém
Por onde eu passo, pessoas brilhantes me mostram que ainda dá pra viver
Mesmo sem querer, o que não podemos fazer é deixar de tentar
Por onde eu passo, outras pessoas vão passando também
Cada uma do seu jeito vão deixando pegadas na forma que passam

Pela décima segunda tentativa o messias já deve ter seus doze anos
E se não morreu na fila do SUS, esta em algum outro país levantando uma arma ou exercitando piano
Sendo a repetição do milagre da vida, a morte também é bonita
Mas não quando se joga uma bomba em Alepo
A magia da poesia em recriar situações e não resolver nada
O poder que ela dá de superar os escombros dos problemas atuais
E emergir nos ombros de um bombeiro como um recém-nascido
Sendo entregue de volta ao colo de seus pais
Jesus Cristo é a mãe que sempre fez o milagre dos pães
Vou-me embora agora, antes que as libélulas entrem em extinção

Composição: Edgar / Pupillo
Enviada por Rafael.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog