Ocidentes Acontecem

Edgar

Se apegar a cor da pele
É superficialidade pura

O sangue corre sem olhar pra trás
Vermelho, vermelho, vermelho
É a cor da paz

Porque distúrbios ansiosos
São mais perigosos que o capeta
Abaixem suas escopetas
E levante suas muletas
Estamos todos feridos
E assumo que estou uma vontade imensa de chorar

Mas estampo a palavra inocente na minha camiseta
E saio desfilando pela guerra mundial
Que todos tentam camuflar
Mas não conseguem
Não segure o choro
Deixe as lágrimas rolar
Pedras vão rolar
Você também vai rolar
I like stone
Eu quero a mesma droga que deram pros Rolling Stones
Chega de genérico
O mundo está histérico
Precisando de um diagnóstico
E hoje em dia nenhum Rabino Agnóstico
Ou Yabalorixá conseguem mudar
Esse acidente geográfico
Porque as depressões criam planícies
E os ocidentes acontecem

Agora eu sou um jornalista
E a todo momento os brasileiros não conhecem a guerra
E nem precisam conhecer
Só que tá geral acomodadão, felizão da vida
Comprando carro e gastando gasolina
Alimentando a máquina mortífera
Que já não assusta mais ninguém
Desligue a TV e escreva um livro
O meu irmão comprou uma piscina de 700 mil litros
Encheu com água da torneira
E depois que ela já não servia mais pra nadar
Ele não sabia como reutilizar

E o Nissei que conheci
Que nasceu no Brasil e foi pro Japão
Lá o chamavam de estrangeiro
Quando ele retornou para o Brasil
O chamavam de Japonês ao invés de Brasileiro
E ele se assumiu como um cidadão do mundo
Um cidadão do planeta terra
Converse com as plantas
Morda igual um animal
Isso aqui é tudo muito bonito
Mas não mata a fome
Pessoas estão dormindo em portas de banco
Como se fosse algo normal
E o que eu mais escuto dos meus amigos é
Precisamos nos unir
União, união
Se una, se una
Se una revolución, se una revolución
La revolución es interna
La revolución es interna

Hoy mi casa es su pensamiento
Despierto un dia mas para vivie e encantar
Con la cabeza erguida vivir sin descansar
Superar los obstáculos, no caer en los tentáculos
En la revolución yo soy un paramédico
En la revolución yo soy un parapléjico
En la revolución yo soy un paramédico
En la revolución yo soy un parapléjico

Composição: Edgar
Enviada por Wendell. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog