LETRAS.MUS.BR - Letras de músicas

La Llave

Pablo Alborán

La Llave

El silencio entre nosotros empieza a dolernos de más
Creo que llegó el momento de dejar todo atrás
No busquemos salida, si nunca quisimos entrar
No recuerdo un domingo de lluvia besándonos en el sofá

Porque nunca fuimos buenos en amar
Porque nunca nos quisimos amarrar

Si yo tuviera la llave de tus ojos cerrados
Si yo pudiera inventar cada recuerdo, cada abrazo
Si hoy encuentro respuesta y descubro la cura
Al final de la historia, no habrá guerras ni armaduras

Sabes bien que llevo un tiempo buscando la forma de hablar
Sé que juegas a escondidas y nunca lo vas a aceptar
De qué sirve esta mentira, cuando siempre te di mi verdad
Esto no es un simulacro, esta herida nos puede matar

Y es que nunca fuimos buenos en amar
Porque nunca nos quisimos amarrar

Si yo tuviera la llave de tus ojos cerrados
Si yo pudiera inventar cada recuerdo, cada abrazo
Si hoy encuentro respuesta y descubro la cura
Al final de la historia, no habrá guerras ni armaduras

Siempre hemos tratado de avanzar y si caías, caía contigo detrás
En silencio siguen creciendo las dudas, en silencio yo las dejaba desnudas
Si yo tuviera la combinación abriría lo que el dolor ha cerrado
Solución perfecta para esta ecuación y romper de tus ojos el candado

Si yo tuviera la llave de tus ojos cerrados
Si yo pudiera inventar cada recuerdo, cada abrazo
Si hoy encuentro respuesta y descubro la cura
Al final de la historia, no habrá guerras ni armaduras

A Chave

O silêncio entre nós começa a doer-nos demais
Creio que chegou o momento de deixar tudo pra trás
Não busquemos saída, se nunca quisemos entrar
Não lembro um domingo de chuva nos beijando em um sofá

Porque nós nunca fomos bons em amar
Porque nós nunca quisemos nos amarrar

Se eu tivesse a chave para seus olhos fechados
Se eu pudesse inventar cada memória, cada abraço
Se hoje eu encontrar uma resposta e descobrir a cura
No final da história, não haverá guerras ou armaduras, sem armaduras

Você sabe bem que eu tenho procurado uma maneira de falar por um tempo
Eu sei que você joga secretamente e nunca vai aceitar
Para que serve essa mentira, quando eu sempre te dei minha verdade
Isso não é uma simulação, essa ferida pode nos matar

Porque nós nunca fomos bons em amar
Porque nós nunca quisemos nos amarrar

Se eu tivesse a chave para seus olhos fechados
Se eu pudesse inventar cada memória, cada abraço
Se hoje eu encontrar uma resposta e descobrir a cura
No final da história, não haverá guerras ou armaduras

Nós sempre tentamos seguir em frente e se você caísse eu cairia atrás de você
Em silêncio, cresciam as dúvidas, em silêncio eu as desnudava
Se eu tivesse a combinação, abriria o que a dor te fez fechar
A solução perfeita pra essa equação e [?]

Se eu tivesse a chave para seus olhos fechados
Se eu pudesse inventar cada memória, cada abraço
Se hoje eu encontrar uma resposta e descobrir a cura
No final da história, não haverá guerras ou armaduras

Composição: Pablo Alborán
Enviada por Alana, Traduzida por Nick, Legendado por clau


Mais músicas de Pablo Alborán

Ver todas as músicas de Pablo Alborán