Sugar Mice

Marillion

Original Tradução Original e tradução
Sugar Mice

I was flicking through the channels on the TV
On a Sunday in Milwaukee in the rain
Trying to piece together conversations, trying to find out where to lay the
Blame

But when it comes right down to it there's no use trying to pretend
For when it gets right down to it there's no one here
That's left to blame, blame it on me, you can blame it on me
We're just sugar mice in the rain

I heard Sinatra calling me through the floorboards
Where you pay a quarter for a partnership in rhyme
To the jukebox crying in the corner
While the waitrerss is counting out the time

For when it comes right down to it there's no use trying to pretend
For when it gets right down to it there's no one really
Left to blame, blame it on me, you can blame it on me
We're just sugar mice in the rain

I know what I feel, know what I want I know what I am
Daddy took a raincheck
Cos I know what I want, know what I feel I know what I need
Daddy took a raincheck, your daddy took a raincheck
Ain't no one in here that's left to blame but me, blame it on me, blame it on
Me

Well the toughest thing that I ever did was talk to the kids on the phone
When I heard them asking questions that I knew that
That you were all alone, Can't you understand that the
Government left me out of work, I just couldn't stand the
Looks on their faces saying what a jerk

So if you want my address it's number one at the end of
The bar
Where I sit with the broken angels clutching at straws and
Nursing our scars, blame it on me, blame it on me
Sugar mice in the rain, your daddy took a raincheck
Your daddy took a raincheck

Camundongos de Açucar

Eu estava zapeando pelos canais da TV
num domingo de chuva em Milwaukee
tentando juntar conversas, tentando encontrar onde por
a culpa

Mas quando se vai direto ao ponto não há razão em tentar fingir
pois quando se chega ao ponto não há ninguém aqui
que tenha sobrado para culpar, culpe a mim, você pode culpar a mim
nós somos apenas camundongos de açúcar na chuva

Ouvi Sinatra me chamando pelas tábuas do piso
onde você paga um quarto de dólar por uma companhia de rima
na máquina de música que fica no canto
enquanto a garçonete fica contando o tempo

Pois quando se vai direto ao ponto não há razão em tentar fingir
Pois quando se chega ao ponto não há ninguém aqui
que tenha sobrado para culpar, culpe a mim, você pode culpar a mim
nós somos apenas camundongos de açúcar na chuva

Eu sei o que sinto, sei o que quero eu sei o que sou
papai deixou para outra vez
Porque sei o que quero, sei o que sinto eu sei do que preciso
papai deixou para outra vez, seu papai deixou para outra vez
Não há ninguém aqui que tenha sobrado para culpar exceto eu, culpe a mim, culpe a
mim

Bem a coisa mais difícil que eu já fiz foi falar com as crianças no telefone,
quando os ouvi fazerem perguntas foi que eu soube
que você estava totalmente sozinha. Você não consegue entender que o
governo me deixou sem trabalho, eu simplesmente não pude aguentar os
olhares em seus rostos dizendo que estúpido

Então se você quer meu endereço é número um no final
do bar
onde eu sento com os anjos quebrados agarrando os fios de palha e
cuidando de minhas cicatrizes, culpe a mim, culpe a mim
camundongos de açúcar na chuva, seu papai deixou para outra vez,
seu papai deixou para outra vez.

Composição: Derek William Dick / Ian Mosley / Marillion / Mark Kelly / Pete Trewavas / Steve Rothery
Enviada por Alexandre e traduzida por Inalda. Legendado por Marcos. Revisão por Clarisa.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Dicionário de pronúncia

Ver mais palavras

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Marillion

Ver todas as músicas de Marillion