Sapokanikan

Joanna Newsom

Original Tradução Original e tradução
Sapokanikan

The cause is Ozymandian
The map of Sapokanikan
Is sanded and bevelled
The land lone and levelled
By some unrecorded and powerful hand

Which plays along the monument
And drums upon a plastic bag
The brave-men-and-women-so-dear-to-God-
And-famous-to-all-of-the-ages rag

Sing: Do you love me?
Will you remember?
The snow falls above me
The renderer renders
The event is in the hand of God

Beneath a patch of grass, her
Bones the old Dutch master hid
While elsewhere Tobias
And the angel disguise
What the scholars surmise was a mother and kid

Interred with other daughters
In dirt in other potter's fields
Above them, parades
Mark the passing of days
Through parks where pale colonnades arch in marble and steel

Where all of the twenty-thousand attending your footfall
And the cause that they died for are lost in the idling bird calls
And the records they left are cryptic at best
Lost in obsolescence
The text will not yield, nor x-ray reveal
With any fluorescence
Where the hand of the master begins and ends

I fell, I tried to do well but I won't be
Will you tell the one that I loved to remember and hold me
I call and call for the doctor
But the snow swallows me whole with ol' Florry Walker
And the event lives only in print

He said
It's alright, and it's all over now
And boarded the plane
His belt unfastened
The boy was known to show unusual daring
And, called a boy
This alderman, confounding Tammany Hall
In whose employ King Tamanend himself preceded John’s fall

So we all raise a standard
To which the wise and honest soul may repair
To which a hunter
A hundred years from now, may look and despair
And see with wonder
The tributes we have left to rust in the park
Swearing that our hair stood on end
To see John Purroy Mitchel depart
For the Western Front
Where work might count
All exeunt! All go out!
Await the hunter, to decipher the stone
(And what lies under, now)
The city is gone

Look and despair
Look and despair

Sapokanikan

A causa é ozymandina
O mapa de Sapokanikan
É lixado e chanfrado
A terra isolada e nivelada
Por alguma mão poderosa e sem registro

Que toca junto do monumento
E tamborila sobre um saco plástico
Os bravos-homens-e-mulheres-tão-queridos-a-Deus-
E-famosos-para-toda-as-eras ralham

Cante: Você me ama?
Você se lembrará?
A neve cai acima de mim
O renderizador renderiza
O evento está na mão de Deus

Sob um trecho de grama, seus
Ossos o velho mestre holandês escondeu
Enquanto em outro lugares Tobias
E o anjo escondem
O que os estudiosos depreendem ser uma mãe e filho

Sepultado com outras filhas
Na sujeira em outras valas comuns
Acima deles, desfiles
Marcam a passagem dos dias
Através de parques onde colunatas pálidas arqueiam em mármore e aço

Onde todos os vinte mil atendendo ao seus passos
E as causas pelas quais morreram por se perderam nos cantos lentos dos pássaros
E os registros que deixaram são crípticos na melhor das hipóteses
Perdidos na obsolescência
O texto não renderá, nem o raio-x revelará
Com qualquer fluorescência
Onde a mão do mestre começa e termina

Eu caí, eu tentei fazer bem, mas eu não serei
Você diria a quem eu amo para se lembrar e me abraçar?
Eu chamo e chamo pelo médico
Mas a neve me engole inteiro com a velha Florry Walker
E o evento vive apenas em versão impressa

Ele disse
Está tudo bem
E: Está tudo acabado agora
E embarcou no avião
Seu cinto desapertado
O garoto era conhecido por mostrar ousadia incomum
E, chamado de garoto
Este vereador, confundindo Tammany Hall
Em cujo emprego, o próprio rei Tamanend precedeu a queda de John

Assim, todos nós erigimos um modelo
Ao qual a alma sábia e honesta possa acorrer
Ao qual um caçador
Cem anos a partir de agora, possa olhar e se desesperar
E ver com admiração
Os tributos que deixamos para enferrujarem nos parques
Jurando que o nosso cabelo ficou em pé
Para ver John Purroy Mitchel partir

Para a Frente Ocidental, onde o nosso trabalho pode contar
Oh, misericórdia! Oh, Deus!
Vá para fora, espere o caçador decifrar a pedra
E o que se encontra sob tu, a cidade se foi

Olhar e se desesperar
Olhar e se desesperar

Composição: Joanna Newsom
Enviada por Lucas e traduzida por Cleuto. Legendado por Débora. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Dicionário de pronúncia

Ver mais palavras

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Joanna Newsom

Ver todas as músicas de Joanna Newsom