Lamento Sertanejo

Zezo

Sou um velho sanfoneiro lá do pé da serra
Só tenho a velha sanfona que restou pra mim
Minha casa já virou tapera já não presta mais
Fico esperando e a chuva não cai
E a chuva não cai
E a chuva não cai

Meu Deus, porque o meu sertão é tão castigado?
Morre o algodão e já não tem mais gado
E morrem as crianças de fome também

Meu Deus, se eu não sei rezar lhe peço o meu perdão
Só queria que chovesse aqui no meu sertão
Pra que o homem possa cultivar

É assim que acaba a tristeza aqui da minha terra
Nasce o algodão e o gado berra
E a minha sanfona volta a tocar

É assim que acaba a tristeza aqui da minha terra
Nasce o algodão e o gado berra
E a minha sanfona volta a tocar


Posts relacionados

Ver mais no Blog