Helplessness Blues

Fleet Foxes

Original Tradução Original e tradução
Helplessness Blues

I was raised up believing
I was somehow unique
Like a snowflake distinct among snowflakes
Unique in each way you can see

And now after some thinking
I'd say I'd rather be
A functioning cog in some great machinery
Serving some thing beyond me

But I don't I don't know what that will be
I'll get back to you someday
Soon you will see

What's my name, what's my station
Oh just tell me what I should do
I don't need to be kind to the armies of night
That would do such injustice to you
Or bow down and be grateful
And say sure take all that you see
To the men who move only in dimly lit halls
And determine my future for me

And I don't I don't know who to believe
I'll get back to you someday
Soon you will see

If I know only one thing
Is that everything that I see
Of the world outside is so inconceivable
Often I barely can speak

Yeah I'm tongue tied and dizzy
And I can't keep it to myself
What good is it to sing helplessness blues?
Why should I wait for anyone else?

And I know I know you'll keep me on the shelf
I'll come back to you someday
Soon myself

If I had an orchard
I'd work 'till I'm raw
If I had an orchard
I'd work 'till I'm sore

And you would wait tables
And soon run the store

Gold hair in the sunlight
My light in the dawn
If I had an orchard
I'd work till I'm sore

If I had an orchard, I'd work 'till I'm sore

Someday I'll be
Like the man on the screen

Blues desamparado

Fui criado acreditando
Que era de alguma forma único
Como um floco de neve distinto entre flocos de neve
Único de cada jeito que você pode ver

E agora depois de alguma reflexão
Eu diria que prefiro ser
Um engrenagem funcionando numa grande máquina
Servindo para algo além de mim

Mas eu não posso não sei o que será
Eu vou voltar para você um dia
Logo você vai ver

Qual é o meu nome, qual é a minha estação
Oh diga-me o que devo fazer
Eu não preciso ser gentil com os exércitos da noite
Que faria tal injustiça com você.
Ou curvar-se e ser grato
E dizer "claro, leve tudo o que você vê"
Para os homens que se deslocam apenas em salas vazias
E determinam o meu futuro para mim

E eu não eu não sei em quem acreditar
Eu vou voltar para você um dia
Logo você vai ver.

Se eu sei de uma coisa
É que tudo que eu vejo
Do mundo exterior é tão inconcebível
Muitas vezes eu mal posso falar

Sim, eu estou com a língua enrolada e tonto
E eu não posso me conter
De que bom é cantar blues desamparado?
Por que eu deveria esperar por alguém?

E eu sei eu sei que você me manteria na prateleira
Eu vou voltar para você um dia
Logo a mim mesmo.

Se eu tivesse um pomar
Eu trabalharia até eu me esgotar
Se eu tivesse um pomar
Eu trabalharia até que me ferisse

E você iria esperar mesas
E logo dirigir a loja

Cabelos dourados à luz do sol
Minha luz no amanhecer
Se eu tivesse um pomar
Eu trabalharia até que me ferisse

Se eu tivesse um pomar, eu trabalharia até que me ferisse

Algum dia eu vou estar
Como o homem na tela

Composição: Robin Pecknold
Enviada por beatriz e traduzida por LuIza. Legendado por Leonardo. Revisões por 6 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.


Posts relacionados

Ver mais no Blog