LETRAS.MUS.BR - Letras de músicas

Adios Muchachos

Carlos Gardel

Adios Muchachos

Adiós muchachos, compañeros de mi vida
Barra querida de aquellos tiempos
Me toca a mi hoy emprender la retirada
Debo alejarme de mi buena muchachada
Adiós muchachos. Ya me voy y me resigno
Contra el destino nadie es la talla
Se terminaron para mi todas las farras
Mi cuerpo enfermo no resiste más

Acuden a mi mente
Recuerdos de otros tiempos
De los buenos momentos
Que antaño disfrute
Cerquita de mi madre
Santa viejita
Y de mi noviecita
Que tanto idolatre

Se acuerdan que era hermosa
Mas linda que una diosa
Y que, brioso de amor
Le di mi corazón?
Mas el señor, celoso
De sus encantos
Hundiendome en el llanto
Me la llevo

Es Dios el juez supremo
No hay quien se le resista
Ya estoy acostumbrado
Su ley a respetar
Pues mi vida deshizo
Con sus mandatos
Llevandome a mi madre
Y a mi novia también

Dos lagrimas sinceras
Derramo a mi partida
Por la barra querida
Que nunca me olvido
Y al darle, mis amigos
El adiós postrero
Les doy con toda mi alma
Mi bendición

Adiós muchachos, compañeros de mi vida
Barra querida de aquellos tiempos
Me toca a mi hoy emprender la retirada
Debo alejarme de mi buena muchachada
Adiós muchachos. Ya me voy y me resigno
Contra el destino nadie es la talla
Se terminaron para mi todas las farras
Mi cuerpo enfermo no resiste más

Adeus Rapazes

Adeus rapazes, companheiros de minha vida,
turma querida daqueles tempos.
Cabe a mim hoje empreender a retirada,
devo afastar-me de minha boa rapaziada,
Adeus rapazes, já me vou e me resigno.
Contra o destino ninguém argumenta.
Acabaram para mim todas as farras,
meu ser enfermo não resiste mais.

Voltam a minha mente,
lembranças de outros tempos,
de belos momentos,
que então eu desfrutei,
juntinho de minha mãe,
minha santa velhinha,
e de minha noivinha
que tanto idolatrei.
Lembram que era formosa,
mais bela que uma deusa
e que, ébrio eu de amor,
lhe dei meu coração?
Porém o Senhor, ciumento
de seus encantos,
cobrindo-me de pranto,
a levou.

É Deus o juiz supremo.
Não há quem se lhe oponha.
Já estou acostumado
a respeitar sua lei,
pois minha vida desfez
com seus mandatos
ao levar minha mãe
e minha noiva também.
Duas lágrimas sinceras
derramo em minha partida
pela turma querida
que nunca me esqueceu.
E ao dar-lhes, meus amigos,
o último adeus,
lhes dou com toda minha alma,
minha bênção.

Adeus rapazes, companheiros de minha vida,
turma querida daqueles tempos.
Cabe a mim hoje empreender a retirada,
devo afastar-me de minha boa rapaziada,
Adeus rapazes, já me vou e me resigno.
Contra o destino ninguém argumenta.
Acabaram para mim todas as farras,
meu ser enfermo não resiste mais.

Composição: Julio César Sanders / César Felipe Vedani Essa informação está errada? Nos avise.
Enviada por Ignacio. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Carlos Gardel

Ver todas as músicas de Carlos Gardel