Jeremías 17-5

Canserbero

Original Tradução Original e tradução

Tradução automática via Google Translate

Jeremías 17-5

En ninguna, cuídese de la envidia mijo
Mirándome a los ojos mi vieja descanse en paz ya, una vez me dijo
Y que razón tenía al advertirme de esta vida puerca
No críes cuervos o arrancarán tus ojos de sus cuencas

Me he dado cuenta que la verdad es tan relativa
Y la realidad es tanta mentira
Perros tratando de invadir mi propiedad privada mientras dormía
Buscando robar mis hembras, mis reales, mi comida

Maldito sea el hombre que confía en otro hombre
Gran verdad en esa frase se esconde
Me siento como un loco al tratar de confiar yo todavía
En alguien, en el planeta de la hipocresía

Válgame, soy un iluso
Tan bravo que me la doy
Y el abuso es natural
Que en contra de mí den uso

Mundo sucio donde todos piensan
Solo en ellos mismos
Malditos mil veces
Títeres del egoísmo

Esta es pa' ti, pa' ti, tú que me traicionaste a mí
Y me das la mano con tu cara de yo no fui
Y yo inocente te la di porque todavía no sabía
Que tu risita venía con la fecha ya vencida

Esta canción no es para nadie
Que no tenga ganas de matar a alguien
Por falso y coño de su madre

Otra mano con puñal en mi dorsal
Mano de un tal carnal
Hermano, que mi mano solía estrechar

El más traidor puede que lo tengas de frente
Bebiendo tus frías o compartiendo tu cena caliente
Ojalá se ahoguen los que siempre mienten
Y una vez en el infierno que se quemen para siempre

Nunca había pensado que tu socio
Puede ser un sucio
Que por un negocio
Te puede dar chuzo

Mi brazo me dice
Que el amor me llevará lejos
Pero el odio me enseño a ser un lince
Nunca un pendejo

Con los dedos de una mano
Eran contados
Los que esa misma mano
Por ellos metía al fuego

Ahora por un zamuro
En un traje de cordero
Canserbero está pensando
En tener que volarse un dedo

Por eso ya no creo ni en mi almohada
Ni en mi sombra, o sea en nada

Ni siquiera creo en mi viejo
Si algún día te digo que te creo
No me creas que te creo
Porque ya no creo ni en mi reflejo

Si buscas una mano amiga, empieza por tu brazo
Eso lo supe a punta de coñazos
Ojalá mi vida sea larga pa' ver cuando la tuya fracase
Y pisar tu mano, cuando me pidas que te alce mi parce

Soy simplemente inexpresivo cuando escribo
Ya casi no bebo ron sino vino y de corazón digo
Que la sucia venganza mata el alma y la envenena
Pero cuando de traición se trata sí vale la pena

La palabra vale, la trampa sale
Los varoncitos se ven a los ojos para decir verdades
Deja la cola cuando pierdas batallas, que ésa no es la guerra
Y si alguna te falla cámbiala por perra

Pon de mierda la sangre, de piedra el corazón
Súbele el volumen, repíteme la oración
Maldito sea el hombre que confía en otro hombre
A los que traicionaron recuerda sus caras y sus nombres

Solo hay una cosa en ti que admiro
Y es que cómo siendo tan dos caras
Puedes todavía dormir tranquilo

Por mi parte bien, yo sonrío
Pero por mi madre que no es bueno
Tener a Canserbero de enemigo

El barrio no pasó en vano
Como Willie Colón en lo profundo de mi corazón soy malo
Estos malditos caga palos piensan que yo no estoy claro
Que no son un coño de madres, mis hermanos

Yo soy la vida y la muerte y no creo en nada
Ni en leyendas vivas, ni en leyendas muertas, ni resucitadas
Yo soy real como Bolivar y su espada
Dándole puñaladas a los hipócritas por su fachada

Me sabe a mierda cultura, putas y fama
Esta canción no es pa' que pegue
Ya tiene verdad pegada

Vivirás traumas cuando no tengas panas
Y notes que las que te dicen que te aman
Me miran con ganas

Me sabe a culo el flow y las habilidades
Yo soy tosco, no me salen mis rimas que no sean reales
Dios quiera y no te encuentres a Gonzales afuera
Y te invite a una cancha hasta que alguno de los dos se muera

Un coño de madre, caballero, ¿verdad?
Si puedo te apuñalo hasta con el lápiz que usé pa'l tema
Farsantes, hay más que mocas donde te cagaste
O mal olor donde measte y metáforas, bastantes

Una mano te corta la otra como dijo tempo
Y las acciones no se las lleva el viento

Que te perdone Cristo, si existe
Porque si es por mí puedo cantar esto
Mientras meo en tu tumba triste

Que suba la mano el que no crea en nadie
Y si nadie la sube, la subo yo
Ojalá te mueras antiguo compadre
Y nos veamos en el infierno pa' volverte a matar yo

Dios no puede duplicarme lo que pienso cuando te observo
Porque más de una vez no puedo entrar al infierno

Y a mi no me digas tu hermano
Que pa' ti soy Canserbero
Rolitronco mama huevo

Cuídese de la envidia mijo
Mirándome a los ojos mi vieja descanse en paz ya, una vez me dijo
Y que razón tenía en advertirme de esta vida puerca
No críes cuervos o arrancarán tus ojos de sus cuencas

Hey you you
Deja de llorar maldita puta
Que yo no he botado lágrimas

Jeremias 17-5

Em não, cuidado com o painço da inveja
Olhando nos meus olhos, minha velha descansa em paz agora, uma vez que ela me disse
E que razão foi ele para me avisar desta vida imunda
Não crie corvos ou eles vão arrancar seus olhos das órbitas

Eu percebi que a verdade é tão relativa
E a realidade é uma mentira
Cachorros tentando invadir minha propriedade privada enquanto eu dormia
Procurando roubar minhas mulheres, meus reais, minha comida

Maldito homem que confia em outro homem
Grande verdade nessa frase oculta
Eu me sinto uma louca tentando confiar em mim ainda
Em alguém, no planeta da hipocrisia

Ok, estou delirando
Tão corajoso que eu dou para mim
E o abuso é natural
Que contra mim dê uso

Mundo sujo onde todos pensam
Só em si
Maldito mil vezes
Fantoches de egoísmo

Isso é pra você, pra você, você que me traiu
E você me dá sua mão com seu rosto eu não era
E eu inocentemente dei a você porque eu ainda não sabia
Que sua risada veio com a data já expirada

Essa musica nao e pra ninguem
Isso não parece matar alguém
Para falso e buceta da mãe

Outra mão com uma adaga na minha dorsal
Mão de um certo carnal
Irmão, que minha mão costumava tremer

O mais traiçoeiro que você pode ter na frente
Bebericando seu resfriado ou compartilhando seu jantar quente
Espero que aqueles que sempre mentem se afoguem
E uma vez no inferno eles queimam para sempre

Eu nunca pensei que seu parceiro
Pode ser sujo
Isso para um negócio
Pode te dar um golpe

Meu braço me diz
Esse amor vai me levar embora
Mas o ódio me ensinou a ser um lince
Nunca um idiota

Com os dedos de uma mão
Eles foram numerados
Aqueles que têm essa mesma mão
Para eles eu coloquei o fogo

Agora para um zamuro
Em um terno de cordeiro
Canserbero está pensando
Ter que assoar o dedo

É por isso que eu nem acredito mais no meu travesseiro
Não na minha sombra, isto é, em nada

Eu nem acredito no meu velho
Se um dia eu te disser que acredito em você
Não acredite em mim, eu acredito em você
Porque eu nem acredito no meu reflexo

Se você está procurando uma mão amiga, comece com seu braço
Eu sabia disso a ponto de me esforçar
Espero que minha vida seja longa para ver quando a sua falhar
E pise em sua mão, quando você me pedir para levantar meu rosto

Só fico em branco quando escrevo
Eu quase não bebo rum, mas vinho e de coração eu digo
Essa vingança suja mata a alma e a envenena
Mas quando se trata de traição vale a pena

A palavra está bem, a armadilha sai
Meninos se encaram para dizer a verdade
Saia da fila quando perder batalhas, isso não é guerra
E se um falhar, troque por uma cadela

Faça seu sangue cagar, sua pedra do coração
Aumente o volume, repita a oração para mim
Maldito homem que confia em outro homem
Aqueles que traíram lembram de seus rostos e seus nomes

Só há uma coisa em você que eu admiro
E é assim que duas caras
Você ainda pode dormir tranquilo

Pela minha parte bem, eu sorrio
Mas para minha mãe isso não é bom
Tenha Canserbero como inimigo

O bairro não passou em vão
Como Willie Colón no fundo do meu coração, sou ruim
Esses bastões de merda pensam que não sou claro
Que não são maricas de mãe, meus irmãos

Eu sou vida e morte e não acredito em nada
Nem em lendas vivas, nem em lendas mortas, nem ressuscitado
Eu sou real como Bolivar e sua espada
Esfaqueando hipócritas por sua fachada

Tem gosto de merda cultural, prostitutas e fama
Essa música não é pra bater
Já tem a verdade presa

Você vai experimentar um trauma quando não tiver panas
E observe que aqueles que dizem que te amam
Eles me olham com desejo

Fluxo e habilidades têm gosto de bunda
Eu sou rude, não entendo minhas rimas que não são reais
Se Deus quiser e não encontre Gonzales fora
E eu convidei você para um tribunal até que um de nós morra

Buceta da mãe, senhor, certo?
Se eu puder, vou até esfaqueá-lo com o lápis que usei para o assunto
Fakers, há mais do que mocas onde vocês cagam
Ou mau cheiro onde você urina e metáforas, alguns

Uma mão corta a outra conforme o andamento diz
E as ações não são levadas pelo vento

Que Cristo te perdoe, se existe
Porque se for por minha causa eu posso cantar isso
Enquanto eu mijo na sua triste sepultura

Que ele levante a mão quem não acredita em ninguém
E se ninguém fizer upload, eu carrego
Espero que morra velho compadre
E vamos nos encontrar no inferno para te matar novamente

Deus não pode duplicar o que penso quando olho para você
Porque mais de uma vez eu não posso ir para o inferno

E não me diga seu irmão
Que para você eu sou Canserbero
Ovo de mamãe rolitronco

Cuidado com a inveja de painço
Olhando nos meus olhos, minha velha descansa em paz agora, uma vez que ela me disse
E qual foi a razão dele em me alertar sobre esta vida imunda
Não crie corvos ou eles vão arrancar seus olhos das órbitas

Ei voce voce
Pare de chorar porra de vadia
Que eu não derramei lágrimas

Enviada por Camila. Legendado por karol. Revisões por 6 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog