Listas musicais

Letra ou poesia? Conheça 14 poemas que viraram música

Por Camila Fernandes

30 de Outubro de 2020, às 19:00


A música pode se inspirar em qualquer coisa, literalmente. Não é incomum vermos por aí canções que foram inspiradas em livros, filmes, novelas  — e é claro que com os poemas isso não é diferente. Pelo contrário, a relação é ainda mais estreita. 

Aliás, dizem por aí que todo poema é uma música em potencial. Isso porque o texto poético já tem como característica um ritmo e uma certa musicalidade nos versos. 

Preparados para conhecer nossa seleção de poemas que viraram música? Então, vamos lá!

14 poemas que viraram música

Vamos falar um pouquinho sobre o poema e sobre a música que ele inspirou. 💜

Motivo, Cecília Meireles

O poema Motivo é da escritora, poeta, jornalista e professora Cecília Meireles. O texto fala sobre o canto e sobre a própria arte de ser poeta. Já nasceu pra ser música, né?

Ele foi gravado na íntegra pelo cantor Fagner, com pequenas adaptações e com o mesmo nome, dando origem à música Motivo.

Relembre as melhores músicas de Fagner

E Agora, José?, Carlos Drummond de Andrade

Pois é, o famoso poema E Agora, José, de Carlos Drummond de Andrade, também já virou música! Assim como no caso do poema anterior, o texto também foi musicado e gravado na íntegra, sem alteração na letra. 

E assim nasceu outra obra prima: a música E Agora, José?, do cantor Paulo Diniz.

Não, Não Digas Nada!, Fernando Pessoa

Nesse caso, o poema Não, Não Digas Nada!, do escritor português Fernando Pessoa, não foi musicado na íntegra, mas serviu de inspiração. 

Ele deu origem à música Não, Não Digas Nada, da banda Secos e Molhados, que virou clássico na voz inesquecível de Ney Matogrosso.

Luzes, Paulo Leminski

O poema Luzes representa bem o estilo único de Paulo Leminski, cheio de trocadilhos e brincando com a interpretação do leitor. Ele foi musicado e gravado pelo cantor Arnaldo Antunes, dando origem à música Luzes.

Confira as 13 melhores músicas de Arnaldo Antunes

A Rosa de Hiroshima, Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes era poeta e músico — na maioria das vezes, era ele mesmo quem musicava suas poesias. No entanto, alguns textos dele também ganharam vida na voz de outros cantores, como é o caso de Rosa de Hiroshima, do Secos e Molhados.

Gostou? Vem conferir a análise completa de Rosa de Hiroshima!

Azulão, Manuel Bandeira

Azulão é um poema bem pequenininho de Manuel Bandeira que foi musicado pelo compositor Jayme Ovalle e ganhou vida na voz de Nara Leão.

Vai Azulão
Azulão companheiro vai
Vai ver minha ingrata

Soneto 11, Luiz Vaz de Camões 

Nunca ouviu falar do Soneto 11, do poeta português Luiz Vaz de Camões? É só ler um pedacinho dele e com certeza você vai reconhecer:

Amor é um fogo que arde sem se ver
É ferida que dói, e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer

Isso mesmo, ele inspirou o clássico Monte Castelo, da Legião Urbana. Além do poema de Camões a música ainda cita trechos bíblicos do livro de Coríntios.

Conheça o significado completo de Monte Castelo

Circuladô de Fulô, Haroldo de Campos

O poema Circuladô de Fulô foi composto por Haroldo de Campos na década de 1970. Alguns anos depois, ele foi musicado e gravado por Caetano Veloso, que manteve até os neologismos e as marcas de oralidade do texto.

Canção Amiga, Carlos Drummond de Andrade

Mais um poema de Carlos Drummond na lista! Dessa vez, Canção Amiga, que é nada menos que uma das canções mais famosas de Milton Nascimento.

Eu preparo uma canção
Em que minha mãe se reconheça
Todas as mães se reconheçam
E que fale como dois olhos

Que o Deus Venha, Clarice Lispector

Que o Deus Venha é um poema de Clarice Lispector que foi musicado por Cazuza. Inicialmente ele foi gravado pela cantora Cássia Eller, mas depois também ganhou versões de outros artistas, como Adriana Calcanhotto, Frejat e o próprio Cazuza.

Desejos, Victor Hugo

E por falar em Frejat, também foi ele o responsável pela música inspirada no poema Desejos, de Victor Hugo. O cantor conseguiu transmitir bem a essência do texto na música Amor Pra Recomeçar.

Morte e Vida Severina, João Cabral de Melo Neto

Morte e Vida Severina é um livro de poesia regionalista escrito por João Cabral de Melo Neto. A obra inspirou não só uma música, mas um álbum inteirinho, do cantor Chico Buarque, que também é fã das letras poéticas. 

Dentre as músicas, podemos destacar Funeral de Um Lavrador, que é uma das mais fiéis ao texto da obra.

Relembre as melhores canções de Chico Buarque

Quase Nada, Alice Ruiz

Antes de se tornar um sucesso de Zeca Baleiro, Quase Nada nasceu como um poema da escritora Alice Ruiz.

De você sei quase nada
Pra onde vai ou por que veio
Nem mesmo sei
Qual é a parte da tua estrada
No meu caminho

Confira as melhores músicas de Zeca Baleiro

Madeiras do Oriente, Waly Salomão

Madeiras do Oriente é um poema do escritor baiano Waly Salomão. Ele virou música na voz da cantora Adriana Calcanhotto, que gravou algumas estrofes na íntegra e criou a música Teu Nome Mais Secreto.

Músicas inspiradas em histórias reais

E aí, gostou de conhecer esses 14 poemas que viraram música? Na íntegra ou não, é fato que eles foram uma excelente inspiração!

Já falamos que a música pode se inspirar em outras artes, e até mesmo no cotidiano. Vem ver nossa seleção de 10 músicas inspiradas em histórias reais que você precisa conhecer

Músicas inspiradas em histórias reais

Receba os melhores posts do blog em seu e-mail

Assine a newsletter gratuitamente

Por favor, insira um e-mail válido.

Obrigado por assinar a nossa newsletter! 😊

Ops, rolou um erro na inscrição. Tente novamente mais tarde.