Besta

Bárbara Eugênia

Nesse tumulto de emoções
Que se chama "eu"
Quero uma liteira que me carregue
Para longe do meu coração
Para mantê-lo hermeticamente fechado
Isolado da dor, imune
Acontece que não sei viver à margem
Prefiro ser assim, amando, sofrendo, gozando
A vida de verdade.
Tentei fugir, fingir que nada se passava
Inevitável, essa amizade foi longe demais
Inevitável, essa amizade foi longe demais
E quanto mais eu me aproximo, mais colada eu to
Vidrada no teu sorriso
Com a cara de besta que sou
Preste atenção no que eu digo
Você me marcou com unhas e dentes
E sangue
Eu lhe tenho amor. Eu lhe tenho amor
Eu lhe tenho amor
Eu nem que sabia que isso era uma cilada
Eu tinha certeza, mas adoro uma roubada
Agora é tarde, estou entregue, meu coração pulsante
Vermelho
Está em suas mãos
Tentei fugir, fingir que nada se passava
Inevitável. Essa amizade foi longe demais
Inevitável. Essa amizade foi longe demais
E quanto mais eu me aproximo, mais colada eu to
Vidrada no teu sorriso
Com a cara de besta que sou
Preste atenção no que eu digo
Você me marcou com unhas e dentes
E sangue
Eu lhe tenho amor. Eu lhe tenho amor. Eu lhe tenho amor...

Composição: Bárbara Eugênia
Enviada por Carina.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog