Quatro Quadras Soltas

Sérgio Godinho

Eu vi quatro quadras soltas
À solta lá numa herdade
Amarrei-as com uma corda
E carreguei-as para cidade

Cheguei com elas a um largo
E logo ao largo se puseram
Foram ter com a família
E com os amigos que ainda o eram

Viram fados, viram viras
Viram canções de revolta
E encontraram bons amigos
Em mais que uma quadra solta

Uma viu um livro chamado
"Este livro que vos deixo"
E reviu velhas amizades
Eram quadras do Aleixo

Ó I ó ai, Há já menos quem se encolha
Ó I ó ai, Muita gente fala e canta
Ó I ó ai, Já se vai soltando a rolha
Que nos tapava a garganta

Ora bem, tinha marcado
Encontro com as quadras soltas
Pois sim, fiquei pendurado
Como um tolo ali às voltas

Chegou uma e disse: Andei
A cumprimentar parentes
E eu aqui a enxotar moscas
Vocês são mesmo indecentes

Respondeu-me: Ó patrãozinho
Desculpe lá essa seca
Estive a beber um copito
Com uma quadra do Zeca

Ó I ó ai, Disse-me um dia um careca
Ó I ó ai, Quando uma cobra tem sede
Ó I ó ai, Corta-lhe logo a cabeça
Encosta-a bem à parede

Das restantes quadras soltas
Não tinha sequer notícia
Dirigi-me a uma esquadra
E descrevi-as a um polícia

Respondeu-me: Com efeito
Nós temos aqui retida
Uma quadra sem papéis
Que encontramos na má vida

Diz que é uma quadra oral
Sem identificação
Que uma quadra popular
Não precisa de cartão

Se diz que pertence ao povo
O povo que venha cá
Que eu quero ver a licença
O registo e o alvará

Ó I ó ai, Quando se embebeda o pobre
Ó I ó ai, Dizem, olha o borrachão
Ó I ó ai, Quando se emborracha o rico
Acham graça ao figurão

Fui com a quadra popular
À procura da restante
Quando o polícia de longe
Disse: Venha aqui um instante

Temos aqui uma outra
Não sei se você conhece
Desrespeita autoridades
E diz o que lhe apetece

Tem uma rima forçada
E palavras estrangeiras
E semeia a confusão
Entre as outras prisioneiras

Se for sua, leve-a já
Que é pior que erva daninha
Olhe bem para ela: É sua?
Olhei bem para ela: É minha!

Ó I ó ai, Nós queremos é justiça
Ó I ó ai, E dinheiro para o bife
Ó I ó ai, E não esta cóboiada
Em que é tudo do sherife

Até ver!

Composição: Sérgio Godinho
Enviada por Waléria. Revisão por Dindor.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog