Tá Rocheda

Os Barões da Pisadinha

Entrei na rua dela com meu carro rebaixado
No meu porta-mala escutando forró pesado
Eu logo percebi quando ela olhou pra mim
Dei a volta por cima e chamei ela pra sair
Ela aceitou o convite, a gente foi cair na farra
Duas garrafas de vinho, ficou mal intencionada
Foi no banheiro, do nada ela sumiu
Quando fui procurar, com outro cara ela sumiu

Tá rocheda, tô nem vendo
Pode crer, você merece um prêmio
Tá rocheda, tô nem vendo
Pode crer, você merece um prêmio

De mulher mais bandida do mundo
O coração que é vagabundo, vagabundo
De mulher mais bandida do mundo
O coração que é vagabundo, vagabundo

Entrei na rua dela com meu carro rebaixado
No meu porta-mala escutando forró pesado
Eu logo percebi quando ela olhou pra mim
Dei a volta por cima e chamei ela pra sair
Ela aceitou o convite, a gente foi cair na farra
Duas garrafas de vinho, ficou mal intencionada
Foi no banheiro, do nada ela sumiu
Quando fui procurar, com outro cara ela sumiu

Tá rocheda, tô nem vendo
Pode crer, você merece um prêmio
Tá rocheda, tô nem vendo
Pode crer, você merece um prêmio

De mulher mais bandida do mundo
O coração que é vagabundo, vagabundo
De mulher mais bandida do mundo
O coração que é vagabundo, vagabundo

Composição: Felipe Amorim / Taciana Gomes / Jhardell Medeiros
Enviada por tioTheus. Legendado por Júlia e Débora. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog