Branquela

Marjorie Estiano

"Branquela"

Dinamitaram meu sonho de vez
Subverteram meu céu
Quando você me contou de um tal mau Hermano burguês
Que pouco fez do jeito que a voz suingou
Ninguém nasceu no tom
Ninguém nasceu pop ou romance
No meu quintal, eu sambo,
Sim e posso ser quem sou

A pele é livre pra colar
É o som que vibra em qualquer lugar

(Refrão)
Deixa a música te levar
Sente o som livre em você
Sou daqui de nenhum lugar
Leve a música pra viver
Pra dançar com você

Se nessa mistura preciso beber
Indiferente à pureza que alguém inventou
Gritar em um bom português
Que eu posso ser branquela de origem nagô
Quem tem um certo dom
Quem tem na veia o sangue brown
No meu sarau me viro assim
E posso ser quem sou

Composição: A. Castilho / André Aquino
Enviada por Bruna. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Marjorie Estiano

Ver todas as músicas de Marjorie Estiano