Doce Novembro

Marjorie Estiano

Nas ruas desprezo quem sorriu pra mim
Não vê que por dentro eu já cheguei ao fim
E aceito a sorte que a vida me deu
Mas pena é pros fracos que o mundo já esqueceu

O seu desespero ilude
Que é sua essa dor
O choro que te cai
Só consola você

Amanhã é cedo pra estar melhor
Amanhã é cedo pra mim
Me agonia o medo de ficar só
Me sinto só enfim

Só vejo lamento no que eu não fiz
Quem sofre não cuida de laços ou verniz

O seu desespero ilude
Que é sua essa dor
O choro que te cai
Só consola você

Amanhã é cedo pra estar melhor
Amanhã é cedo pra mim
Me agonia o medo de ficar só
Me sinto só enfim

Um doce novembro que foge de mim
Assina o passado enquanto eu sinto o fim

Composição: Alexandre Castilho / André Aquino
Enviada por Bruna.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Marjorie Estiano

Ver todas as músicas de Marjorie Estiano