Mi Historia Entre Tus Dedos

Gianluca Grignani

Original Tradução Original e tradução
Mi Historia Entre Tus Dedos

Yo pienso que
no son tan inútiles las noches que te di
Te marchas y qué
yo no intento discutírtelo, lo sabes y lo sé

Al menos quédate solo esta noche
prometo no tocarte, está segura
Hay veces que me voy sintiendo solo
Porque conozco esa sonrisa tan definitiva
Tu sonrisa que a mí mismo
me abrió tu paraíso.

Se dice que
con cada hombre hay una como tú
Pero mi sitio luego
lo ocuparas con alguno
Igual que yo o mejor, lo dudo
¿Por qué esta vez agachas la mirada?
Me pides que sigamos siendo amigos
Amigos para que maldita sea
A un amigo lo perdono, pero a ti te amo
Pueden parecer vanales
Mis instintos naturales.

Hay una cosa que yo no te he dicho aún
que mis problemas sabes que se llaman tú
sólo por eso tú me ves hacerme el duro
para sentirme un poquito más seguro

y si no quieres ni decir en que he fallado
recuerda que también a ti te he perdonado
Y en cambio tú dices lo siento no te quiero
Y te me vas con esta historia entre tus dedos

Qué vas a hacer..
busca una excusa y luego márchate
Porque de mi
no debieras preocuparte, no debes provocarme
Que yo te escribiré un par de canciones
tratando de ocultar mis emociones
Pensando pero poco en las palabras
te hablaré de la sonrisa tan definitiva
tu sonrisa que a mí mismo me abrió tu paraíso

Hay una cosa que yo no te he dicho aún
que mis problemas sabes que se llaman tú
sólo por eso tú me ves hacerme el duro
para sentirme un poquito más seguro

y si no quieres ni decir en que he fallado
recuerda que también a ti te he perdonado
y en cambio tú dices lo siento no te quiero
y te me vas con esta historia entre tus dedos
na, na, nara, na, nara, na, na, nara.

Minha História Entre Teus Dedos

Penso que
não são tão inúteis as noite que lhe dei
Você vai embora, e daí?
e eu não pretendo impedi-la, você sabe e eu sei

Ao menos fique somente esta noite
Prometo não tocá-la, está segura
Há momentos que vou me sentindo sozinho
Porque conheço esse sorriso tão definitivo
Teu sorriso que a mim mesmo
me abriu seu paraíso

Dizem que
com cada homem existe outra igual a você
Mas meu lugar, logo
o ocupará com alguém
Igual que eu ou melhor, duvido
Por que desta vez desvia o olhar?
Pede-me que continuemos sendo amigos
Amigos para que? Maldita seja!
A um amigo eu perdoo, mas você eu amo
Podem parecer banais
Meus instintos naturais

Há uma coisa que eu não lhe disse ainda
Que meus problemas sabe que tem seu nome
Só por isso você me vê bancando o duro
Para me sentir um pouquinho mais seguro

E se não quiser nem dizer em que falhei
Lembre que a você também perdoei
E em troca você me diz, "sinto muito, não quero você"
E parte com essa historia entre os dedos

O que vai fazer?
Procure uma desculpa e vá embora logo
Porque comigo
não precisa se preocupar, não deve me provocar
Que eu lhe escreverei umas canções
Tentando ocultar minhas emoções
Pensando, mas pouco, nas palavras
Lhe falarei do sorriso tão definitivo
Seu sorriso que a mim mesmo abriu seu paraíso

Há uma coisa que eu não lhe disse ainda
Que meus problemas sabe que tem seu nome
Só por isso você me vê bancando o duro
Para me sentir um pouquinho mais seguro

E se não quiser nem dizer em que falhei
Lembre que a você também perdoei
E em troca você me diz, "sinto muito, não quero você"
E parte com essa historia entre os dedos
Na, na, nara, na, nara, na, na, nara

Composição: Gianluca Grignani
Legendado por diogo. Revisões por 7 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog