Guillotine

Death Grips

Original Tradução Original e tradução
Guillotine

It goes, it goes, it goes, it goes
Guillotine, yah

Sit in the dark and ponder how
I'm fit to make the bottom fall through the floor
And they all fall down, yah (It goes, it goes, it goes, it goes, yah)
Out of the shadows barrage of witch tongue
Cobra spit over apocalyptic cult killer cauldron smoke
Stomp music seriously, yah (It goes, it goes, it goes, it goes)
Can't stop the groove licks jaws clear off them locks relentless raw movement
Fit to knock you from here to that g-spot body rock connected
To everything you want, ever did want, we got it why not come get it
Stick your head in that hole and watch me drop this cold guillotine death sentence, yah, yah

Hidden art, between and beneath, every fragmented, figure of speech
Tongue in reverse, whenever the beat, causes my jaws to call out, yah
The screens flashing red, can't see shit but heads
Spinning exorcist like planets out of orbit off the edge
Off mine axis whipping through doors to far more than all that’s ever been said, yah
Tie the chord kick the chair and you're dead, yah

Head of a trick in a bucket, body of a trick in a bag
And thrown in the fire like fuck it, gotta burn it before it goes bad
One too many times been disgusted by the stench of rot is such a drag, yah
Get broke by the street like blood stained glass, yah
Choke on these nuts 'til the very last, yah (It goes, it goes, it goes, it goes)
Serial number, killing machine, the illest of means
To an end built on the filthy sound, you're experiencing, yah

Tinted windows, bulletproof, the slip knot fixing rope to noose
To the grave stone grinder of cold steel, the passion that blinds me so I feel, yah
Can't let go, no it flows through our veins
Blows through our tunnels and rattles our chains and they all fall down, yah

Guilhotina

Vai, vai, vai, vai
Guilhotina, yah

Sento no escuro e penso como
Vou fazer com que o fundo caia através do chão
E todos eles caem, yah (Vai, vai, vai, vai, yah)
Fora da barragem de sombras da língua da bruxa
A cobra cospe sobre a fumaça apocalíptica do caldeirão do culto assassino
Pisam na música de forma séria, yah (Vai, vai, vai, vai)
Não posso parar de lamber as mandíbulas, removo um movimento bruto implacável
Pronto pra te detonar daqui até o Ponto G conectado com a rocha corporal
Para tudo que você quer, nunca quis, nós a temos, por que não vem busca-lá?
Enfie a cabeça no buraco e me veja tomando esta sentença de morte fria na guilhotina, yah, yah

Arte oculta, entre e por baixo, fragmentadas, figura de linguagem
Língua ao contrário, sempre quando a batida faz com que minhas mandíbulas chamem, yah
As telas piscando em vermelho, não consigo ver nada, além de cabeças
Girando como exorcistas e planetas fora de órbita e fora da borda
Fora dos padrões, chicoteando portas indo mais longe do que já disseram, yah
Amarre a corda, chute a cadeira e você está morto, yah

Chefe de um truque em um balde, o corpo de um truque em um saco
E jogado no fogo como se não fosse nada, tem que queimar antes que apodreça
Muitas pessoas já sentiram nojo, com o cheiro de podridão que é uma merda, yah
Quebrou pela rua como um vidro manchado de sangue, yah
Engasgue com meu pau até o final, yah (Vai, vai, vai, vai)
Número de série, máquina mortífera, o pior dos meios
Para um fim construído sobre este som sujo que você está experimentando, yah

Vidros fumados, prova de balas, o deslizamento fixa na corda nó-a-nó
Para o moedor de pedras de aço frio, a paixão que me cega para que eu a sinta, yah
Não posso largar, corre nas nossas veias
Golpes através de nossos túneis e balançam nossas correntes e todos eles caem, yah

Enviada por Rah e traduzida por Igor's. Legendado por Igor's.
Viu algum erro? Envie uma revisão.


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Death Grips

Ver todas as músicas de Death Grips