Nail Them To The Cross

Dark Funeral

Original Tradução Original e tradução
Nail Them To The Cross

Rise in glory!
Rise from the flames and come out from the shadows
And let your dead eyes glow wherever you roam!
A dark millennium of evil and sin
Amass the black arts as the tide is turning

Rivers of poison, oceans of depravity
By the hands of the antagonist
Winds of fire, storm of the apocalypse
Proclaim the relentless return of satan!
Crush all morality and bring forth the beast
Hunt down the weaklings and abase all that is holy

Nail them to the cross
Thorns shall carve
Nail them to the cross
Angels weep
Nail them to the cross
Eradicate "God"
Nail them to the cross
Divinity is me

Now set aflame their sanctuaries of light
In masses they burn and the flame reach higher
The winds keep howling
As we reinstate the unholy art, of human sacrifice
Let them be heard, all the trumpets of glory
And let the sound of doom deafen their cries
For we shall strike as one with victory at hand
To conquer all, to reinstate the unholy

Rivers of poison, oceans of depravity
By the hands of the antagonist
Winds of fire, storm of the apocalypse
Proclaim the relentless return of satan!
Crush all morality and bring forth the beast
Hunt down the weaklings and abase all that is holy

Nail them to the cross
Thorns shall carve
Nail them to the cross
Angels weep
Nail them to the cross
Eradicate "God"
Nail them to the cross
Divinity is me

Pregue Eles na Cruz

Erga-se em glória!
Renasça das chamas e saia das sombras
Deixe seus olhos mortais brilharem por onde passar
Um milênio negro de maldade e pecado
Junte a arte negra enquanto a maré vira

Rios envenenados, oceanos de depravação
Pelas mãos do antagonista
Ventos de fogo, tempestade apocalíptica
Proclamam o implacável retorno de Satã!
Esmague toda a moralidade e traga a besta
Cace os fracos e abata toda a divinidade

Pregue eles na cruz
Espinhos devem suplicar
Pregue eles na cruz
Os anjos choram
Pregue eles na cruz
Erradicando Deus
Pregue eles na cruz
Eu sou a divinidade

Incendeie agora seu santuário de luz
Em massa eles queimam e as chamas aumentam
Os ventos continuam vociferando
Enquanto reintegramos a arte profana do sacrifício humano
Deixe todas as trombetas de glória serem ouvidas
E deixe o som da condenação ensurdecer seu choro
Devemos atingir como um, ter a vitória em mãos
Para conquistar tudo, para reintegrar a profanidade

Rios envenenados, oceanos de depravação
Pelas mãos do antagonista
Ventos de fogo, tempestade apocalíptica
Proclamam o implacável retorno de Satã!
Esmague toda a moralidade e traga a besta
Cace os fracos e abata toda a divinidade

Pregue eles na cruz
Espinhos devem suplicar
Pregue eles na cruz
Os anjos choram
Pregue eles na cruz
Erradicando Deus
Pregue eles na cruz
Eu sou a divinidade

Composição: Lord Ahriman
Enviada por Luan e traduzida por Thiago. Revisão por Angelus.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Dicionário de pronúncia

Ver mais palavras

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Dark Funeral

Ver todas as músicas de Dark Funeral