Roupa Nova

Roupa Nova

Todos os dias, toda manhã
Sorriso aberto e roupa nova
Passarim preto de terno branco
Pinduca vai esperar o trem

Todos os dias, toda manhã
Ele sozinho na plataforma
Ouve o apito, sente a fumaça
E vê chegar o amigo trem

Que acontece que nunca parou
Nessa cidade de fim de mundo
E quem viaja pra capital
Não tem olhar para o braço que acenou

O gesto humano fica no ar
O abandono fica maior
E lá na curva desaparece com sua fé

Homem que é homem não perde a esperança não
Ele vai parar
Quem é teimoso não sonha outro sonho não
Qualquer dia ele para

E assim Pinduca toda manhã
Sorriso aberto e roupa nova
Passarim preto de terno branco
Vem renovar a sua fé

Composição: Fernando Brant / Milton Nascimento
Enviada por Lelinha. Legendado por Cauã.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Roupa Nova

Ver todas as músicas de Roupa Nova