Meu Filho Tão Tarde Que É

Pedro Abrunhosa

Meu querido filho
Tão tarde que é
Há fogo no monte
Que acende o da fé
Meu querido filho
Tão tarde que é

Dorme no seu berço
Já o teu menino
Talvez a sonhar
Pai, foge ao destino
Dorme no seu berço
Já o teu menino

Chama por mim
Lá da porta do céu
Nada cala a dor
D'uma mãe que perdeu
Ninguém sabe do amor
Da mãe que te nasceu

Meu querido filho
Tão forte o teu abraço
Abre caminho
De volta ao regaço
Meu querido filho
Tão forte é o teu abraço

Não vejo o uniforme
Nem o teu machado
Só ais de outras mães
Todas em cuidado
Não vejo o uniforme
Nem o teu machado

Chama por mim
Lá da porta do céu
Nada cala a dor
D'uma mãe que perdeu
Ninguém sabe do amor
Da mãe que te nasceu

Meu querido filho
Que cor vai na montanha?
Vermelha de dor
Nunca houve tamanha
Meu querido filho
Que cor vai na montanha?

Que silêncio trouxe o dia
Que escuro ficou
Foi toda a aldeia
Que a noite calou
Tantos outros filhos
Que o vento guardou

Chama por mim
Lá da porta do céu
Nada cala a dor
De uma mãe que perdeu
Ninguém sabe do amor
Da mãe que te nasceu

Nada cala a dor
Da mãe que te perdeu
Ninguém sabe do amor
Da mãe que te nasceu

Composição: Pedro Abrunhosa
Enviada por Mário.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog