Amai a dor, pois ela voz induzirá
A ter o alívio, produto de vossos atos.
Contra-atacai a depressão que se encostar.
Sede sorriso ante o choro dos maus-tratos.

Cantai mesmo que o pranto teime em abafar a voz
Vivei as multidões quando vos encontrardes sós.
Buscai, ousai ser laço forte em meio a tantos nós,
Gritai quando o silêncio ameaçar falar por vós.

Amai a fome e ela vos despertará
Para a verdade que se encontra ao vosso lado
Fazei sentir-se a razão que nos unirá
Uns aos outros como a dor vos tem ensinado.

Olhai o grão dentro da lama germinar
Tentei erguer a garra inibida dos fracos
Vede o império que antes de se estruturar
Se apóia em pedras trituradas, pó e cacos.


Posts relacionados

Ver mais no Blog