Metades

Leci Brandão

Metades


Metade de mim te adora
Metade de mim te odeia
Metade te põe porta afora
E a outra metade te anseia
Se a minha mão te afaga
Te alisa e até te protege
A boca te roga uma praga {
Com a força discrente do herege. {bis.
Metade de mim é teu teto
E a outra é o teu desabrigo
Eu te dou a luz e te cego
Sou misto de joio e de trigo
Metade de mim te descarta
E a outra metade te chama
A alma de ti anda farta
Mas meu corpo te leva pra cama.
Metade de mim te engasga
E a outra teu grito liberta
Se um dos meus lábios te rasga
O outro remenda e conserta
Meu ódio mortal te envenena
Mas vem meu amor e te cura
Vestida te acho obscena {
Despida te chamo de pura. {bis.

Composição: Paulinho Rezende / Paulo Debétio
Enviada por Ramon.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog