Retrato Marrom

Fagner

Ai, meu coração sem natureza
Vê se estanca essa tristeza que ilumina o escuro bar
O nosso amor é um escuro bar
Suspiro azul das bocas presas

O medo em minha mão que faz tremer a tua mão
Sacode o coração, joga fumaça em meu pulmão
Silente esquina no Brasil
Nos verdes mares, calma lama, num desespero sem canção

Guarda o teu olhar de ave presa
Na toalha de uma mesa
Sem mirar a luz do sol
Não há calor na luz do sol
O fim da festa é uma certeza

Te vejo em minha vida como um retrato marrom
São lembranças perdidas de um passado, e tudo bom
Brilha um punhal em teu olhar
Sinto o veneno do teu beijo

Era moderno o meu batom, batom, batom, batom

Composição: Fausto Nilo / Rodger Rogério
Enviada por Vanderley. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog