Non Me Lo So Spiegare

Tiziano Ferro

Original Tradução Original e tradução
Non Me Lo So Spiegare

Un po' mi manca l'aria che tirava
O semplicemente la tua bianca schiena
E quell'orologio non girava
Stava fermo sempre da mattina a sera
Come me lui ti fissava
Io non piango mai per te
Non farò niente di simile
Si, lo ammetto, un po' ti penso
Ma mi scanso
Non mi tocchi più

Solo che pensavo a quanto è inutile farneticare
E credere di stare bene quando è inverno e te
Togli le tue mani calde
Non mi abbracci e mi ripeti che son grande
Mi ricordi che rivivo in tante cose
Case, libri, auto, viaggi, fogli di giornale
Che anche se non valgo niente perlomeno a te
Ti permetto di sognare
E se hai voglia, di lasciarti camminare
Scusa, sai, non ti vorrei mai disturbare
Ma vuoi dirmi come questo può finire?
Non me lo so spiegare
Io no me lo so spiegare

La notte fonda e la luna piena
Ci offrivano da dono solo l'atmosfera
Ma l'amavo e l'amo ancora
Ogni dettaglio è aria che mi manca
E se sto così sarà la primavera
Ma non regge più la scusa

Solo che pensavo a quanto è inutile farneticare
E credere di stare bene quando è inverno e te
Togli le tue mani calde
Non mi abbracci e mi ripeti che son grande
Mi ricordi che rivivo in tante cose
Case, libri, auto, viaggi, fogli di giornale
Che anche se non valgo niente perlomeno a te
Ti permetto di sognare
Solo che pensavo a quanto è inutile farneticare
E credere di stare bene quando è inverno e te
Togli le tue mani calde
Non mi abbracci e mi ripeti che son grande
Mi ricordi che rivivo in tante cose
Case, libri, auto, viaggi, fogli di giornale
Che anche se non valgo niente perlomeno a te
Ti permetto di sognare
E se hai voglia, di lasciarti camminare
Scusa, sai, non ti vorrei mai disturbare
Ma vuoi dirmi come questo può finire?

Eu Não Sei Me Explicar

Sinto falta do ar que aspirava
Ou simplesmente das tuas costas brancas, nananana
E aquele relógio não rodava
Estava parado sempre da manhã a noite
Como eu, ele te olhava
Eu não choro nunca por você
Não vou fazer nada parecido
Sim, admito, penso um pouco em você
Mas me esquivo
Você não me afeta mais

Só que eu pensava o quanto é inútil reclamar
E acreditar estar bem quando é inverno e você
Tira as suas mãos quentes
Não me abraça e me repete que sou grande
Me recorda que vivo em tantas coisas
Casas, livros, carros, viagens, folhas de jornal
Que mesmo que não valha nada pelo menos a você
Permito que sonhe
E se tem vontade, que te deixe caminhar
Desculpa, sabe, não queria nunca te incomodar
Mas pode me dizer como isso pode terminar?
Não sei explicar
Eu não sei explicar

A noite adentro e a lua cheia
Nos oferecem apenas a atmosfera como presente
Mas a amava e ainda a amo
Cada detalhe é o ar que me faz falta
E se estou assim... Será a primavera
Mas a desculpa não se sustenta mais

Só que eu pensava o quanto é inútil reclamar
E acreditar estar bem quando é inverno e você
Tira as suas mãos quentes
Não me abraça e me repete que sou grande
Me recorda que vivo em muitas coisas
Casas, livros, carros, viagens, folhas de jornal
Que mesmo que não valham nada pelo menos a você
Permito que sonhe
Só que eu pensava o quanto é inútil reclamar
E acreditar estar bem quando é inverno e você
Tira as suas mãos quentes
Não me abraça e me repete que sou grande
Me recorda que vivo em muitas coisas
Casas, livros, carros, viagens, folhas de jornal
Que mesmo que não valham nada pelo menos a você
Permito que sonhe
E se tem vontade, que te deixe caminhar
Desculpa, sabe, nao queria nunca te incomodar
Mas pode me dizer como isso pode terminar?

Composição: Tiziano Ferro
Legendado por Laisla e Kelly. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Tiziano Ferro

Ver todas as músicas de Tiziano Ferro