Blasphémie

Soko

Original Tradução Original e tradução

Tradução automática via Google Translate

Blasphémie

Blasphémie
Ton nom qui saigne
Tu n'te réveilles plus
Au son de mes baisers

Ton odeur disparait
Mon cœur n'était pas préparé

Le bout de tes lèvres me touche à peine
J'ai envie de ta bouche haletante
Mon doigt sur ta langue brûlante
Et je parcours ton corps par habitude
Et mes mains connaissent le chemin par cœur
Les collines et les vallées
De tes reins à tes seins

L'ennemie c'est l'inconnu
Le triste retour à la réalité
Hmmm monotonie quand tu t'installes
Tu n'pardonnes pas les amants désunis

J'ai si peur de mourrir seule
De m'endormir sans jamais me réveiller
Sans l'étreinte familière
De ta peau sans mystère

Le bout de tes lèvres me touche à peine
J'ai envie de ta bouche haletante
Mon doigt sur ta langue brûlante
Et je parcours ton corps par habitude
Et mes mains connaissent le chemin par cœur
Les collines et les vallées
De tes reins à tes seins

La lumière s'éteint sur notre histoire
Mon cœur bat trop fort je ne dors plus
J'ai peur de mon ombre, j'ai peur du vide
Tu m'as condamnée à mourrir
Je n'ai plus envie de vivre
Je compte les secondes à rebours
Jusqu'à ma tombe

L'agonie c'est la vie sans toi
Et la folie de t'avoir perdu
Et le chagrin tous les matins
Quand tu n'es pas là

(Oh Sasha)
Toutes les larmes de mon corps
Qui coulent jusqu'à l'infini
Font déborder le torrent du remède
À la mélancolie

Oh Sasha
Et si tes regrets te font changer d'avis
Reviens
Je serais là
Oh Sasha
L'enfer c'est les autres mais c'est surtout toi

Oh Sasha
Oh Sasha

Profanidade

Profanidade
Seu nome sangrando
Você não acorda mais
Ao som dos meus beijos

Seu cheiro desaparece
Meu coração não estava preparado

A ponta dos seus lábios mal me toca
Eu quero sua boca ofegante
Meu dedo na sua língua quente
E eu vagueio seu corpo por hábito
E minhas mãos sabem o caminho de cor
Colinas e vales
Dos seus rins aos seus seios

O inimigo é o desconhecido
O triste retorno à realidade
Hmmm monotonia quando você se acalma
Você não perdoa amantes desunidos

Eu tenho tanto medo de morrer sozinha
Adormecer sem nunca acordar
Sem o abraço familiar
Da sua pele misteriosa

A ponta dos seus lábios mal me toca
Eu quero sua boca ofegante
Meu dedo na sua língua quente
E eu vagueio seu corpo por hábito
E minhas mãos sabem o caminho de cor
Colinas e vales
Dos seus rins aos seus seios

A luz se apaga na nossa história
Meu coração está batendo muito forte, eu não durmo mais
Eu tenho medo da minha sombra, tenho medo do vazio
Você me condenou a morrer
Não quero mais viver
Eu conto a contagem regressiva de segundos
Para o meu túmulo

Agonia é vida sem você
E a loucura de ter te perdido
E tristeza todas as manhãs
Quando você não está lá

(Oh Sasha)
Todas as lágrimas no meu corpo
Fluindo para o infinito
Faça o torrent de remédio transbordar
Melancólico

Oh sasha
E se seus arrependimentos fazem você mudar de idéia
Volte
eu estarei lá
Oh sasha
O inferno é outro, mas é principalmente você

Oh sasha
Oh sasha


Posts relacionados

Ver mais no Blog