Et Circenses

Rosa de Saron

Abram os portões, soltem os leões!
É preciso entreter a multidão que saiu de casa pra ver sangue sem sujar a mão
E enquanto apontam dedos, vendo tudo acontecer
Os bravos lutam contra as feras, pra sobreviver

Deixe ser! Deixe estar! São apenas vozes que não podem te tocar!
Deixe ser! Deixe estar! São apenas vozes que não sabem o que é lutar na arena!

Éramos iguais, mas não somos mais como outros tantos milhões de mortais
Que não conhecem a dor, nem mesmo o sabor, nem a luta por seus próprios ideais
Nós caímos, levantamos, nós somos agentes por aqui
Pesadelos vivos de quem tem medo de agir
Por isso somos circo que distrai frustrações
De covardes que escolheram desertar nas provações

Deixe ser! Deixe estar! São apenas vozes que não podem te tocar!
Deixe ser! Deixe estar! São apenas vozes que não sabem o que é lutar na arena!

Quando o medo te impede de tentar
O que resta é procurar um bom lugar pra se sentar pra ver
Escondido onde ninguém vai te notar
O que resta é criticar quem se atreve a entrar na arena

So that his place shall never be with those cold timid souls
Who neither know victory nor defeat!

Então deixe ser! Deixe estar! São apenas vozes que não podem te tocar!
Deixe ser! Deixe estar! São apenas vozes que não sabem o que é lutar na arena!

Composição: Bruno Faglioni
Enviada por Alex.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Rosa de Saron

Ver todas as músicas de Rosa de Saron