Tainai Tokei Toshi Orrery

Revolutionary Girl Utena

Original Tradução Original e tradução
Tainai Tokei Toshi Orrery

Shinigami no zou atama wo furifuri
Tsuna wo hatte kane uchinarashi
Ondori habataki mado ga hiraku to
Juuni no shito ga marude ningyou
Mabataki sezu ni daikoushin

Furui oruroi
Jidou shikake
Oudou watashi no juunigyuu
Zodiac
Watashi
Zodiac

Watashi no karada ni furuku kara
Hyaku no tou ga sobietatsu
Naizou keikan risou toshi
Bochi ni kyoukai shuudouin

Chikyuu no gankyuu undou hyouhon
Chitekina sekizou douryoku seiza
Mikansei no taiji shi no himitsu
Gekijou byouin hakubutsukan

Jinkou nikutai gurotta meiro gensou kenchiku dairiseki
Jinkou tokei omori senmai kurukuru mawaru ko no jikan

Kodai toshi yori watashi made
Sono hi de owaru ichinichi tokei
Hiru wa taiyou yoru wa tsuki
Ichinichi kiri no shizen tokei

Boon boon kinkonkan
Boon boon kinkonkan

Nikutai toshi to tokei no shinpi
Kikagaku housoku kochikochi kenchiku
Tanchou eien
Genzai yuukyuu
Banshou shinjitsu
Senpen ichiritsu
Senpen banka

Watashi bakeru jintai toshi
Watashi bakeru kekkoku tokei

Toshi tokei hakken
Toshi tokei rikai
Toshi tokei

Shoumetsu!

Relógio Interno, Planetário Municipal

A figura da Morte, sua cabeça se mexendo
A corda é puxada, os sinos tocam
O galo bate as asas, a janela se abre
Os 12 Apóstolos, como estátuas
Começam o desfile sem piscar

Planetário antigo
Dispositivo automático
12 constelações arranjadas ao meu redor
Zodíaco
Eu sou
O Zodíaco

Dentro de meu corpo, de tempos antigos
Erguem-se cem torres
Meus órgãos, uma cidade ideal
No cemitério, uma igreja, uma abadia

Olho da Terra, um exemplo de movimento
Órgão intelectual de pedra, uma constelação dinâmica
Embrião incompleto, o segredo da morte
Teatros, hospitais, museus

Carne artificial, Santo Sepulcro, labirinto; arquitetura ilusionária de mármore
Relógios artificiais, sinos, molas; marcando o tempo, dando voltas e voltas

De cidades antigas até mim
Termina naquele dia, o relógio de um dia
De dia o sol, à noite a lua
O relógio natural de um dia

Bong bong, ding dong ding
Bong bong, ding dong ding

O mistério da cidade corporal e do relógio
Lei geométrica, construção rígida
Eternidade imutável
Perpetuidade moderna
Verdade universal
Falta de variedade
Variedade sem fim

Eu tomo a forma de uma cidade do corpo humano
Eu tomo a forma de um relógio quebrado

Relógio municipal, descoberta
Relógio municipal, compreensão
Relógio municipal

Aniquilação!

Composição: J. A. Seazer / J.A. Seazer
Enviada por Ana e traduzida por Izabela. Revisão por Izabela.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog