Correntes

Priscilla Alcantara

No começo essas correntes
Davam medo
Mas agora não são mais sinônimo
De morte pra mim

Já fui presa por centenas delas
Mas não foi suficiente pra calar
O amor que habita em mim

Me amordaçaram
Pensando que iam me calar
Se esqueceram
Que não preciso de palavras pra falar

Eu começo onde eles dizem ser meu fim
Eu começo onde eles dizem ser meu fim

Querem me destruir
Podem até tentar
Sugiro que juntem-se a mim
Pois não vão me parar

Querem me destruir
Podem até tentar
Sugiro que juntem-se a mim
Pois não vão me parar, não

Não, não vão me parar
Não, não
Não, não vão me parar
Não, ah, ah

Sim, eu já bati de frente
Pra me manter coerente
Só quis proteger
O que habita em mim

Hoje renascida
Morri simbolicamente
Pra qualquer corrente
Que você usa contra mim

Me amordaçaram
Pensando que iam me calar
Se esqueceram
Que não preciso de palavras pra falar

Eu começo onde eles dizem ser meu fim
Eu começo onde eles dizem ser meu fim

Querem me destruir
Podem até tentar
Sugiro que juntem-se a mim
Pois não vão me parar

Querem me destruir
Podem até tentar
Sugiro que juntem-se a mim
Pois não vão me parar, não

Querem me destruir
Podem até tentar
Não vão me parar
Podem até tentar
Não vão me parar
Não vão me parar, não
Ah, ah

Não vão me parar
Não vão me parar, não
Não vão me parar
Não, não
Não vão me parar, não

Composição: Lucas Silveira / Priscilla Alcântara
Enviada por Nathan. Legendado por Barbara. Revisão por David.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Priscilla Alcantara

Ver todas as músicas de Priscilla Alcantara