Revolta Latina Pt. 2

PrimeiraMente

Pássaros trazem notícias, dormindo com os cães latindo
Em um pesadelo acordado num palácio no córrego
Me trás um álcool e um sorriso, me mostre o que o céu tá dizendo
Mas será que o céu ele existe mesmo?
Ou é a maior conspiração do século
Problemas caíram com a chuva
Respostas vieram com o vento
Veneno nos copos enquanto ouvíamos helicópteros
Escrevendo poemas em papiros queimados com um propósito
Queima de arquivos!
E o sangue nos olhos vermelhos
A consequência caindo pros povos
O sonho de um Porshe amarelo
Com a arma na mão sem sentimento
E a vítima na cena no chão tremendo
Eu ouvi tiros, e senti medo
Vírus sobrevoam o gueto, incêndio em fazendas com ouro
Solta o barco pras águas
Joga um gole pro santo
E se tiver que ser assim será assim mesmo!
Vingança a qualquer custo
Perdão a qualquer preço
Terceira guerra mundial ó meu Deus volte logo

Tropecei na chuva, pedi ajuda, aos céus que sempre abrem
Pra abraçar quem procura
Pra quem não faz nada é fácil apontar o erro dos outros
Sistema extermina, parece que nada muda
Pelo visto foi o vice e o juiz comprado
Não apoio nenhum dos dois lados
Nossos lideres são tudo safado, bando de arrombado
Cada um por si foda-se a policia, que quando é bairro de madame troca até o pneu
Onde já se viu? Polícia civil, caiu pra dentro do barraco pra fazer um dinheiro
Nada do que ninguém me disser, vai abalar minha fé de que vai fica tudo bem no fim
De que vai fica tudo bem no fim

Eu digo falem, o que quiserem falar, meu Deus é um só
Eu falei tudo que aprendi dividi com meu povo
Falhei, ao pensar que era melhor que alguém, sei bem, sei bem, sei bem nada bem

Vendo meus irmãos afogados na lama
Com a vida beirando o sufoco de Cristo
O Judas não ajuda e ainda reclama
Onde quem não ama, tá feliz com isso
Imensa é a ganancia que voz acompanha
Vendo campanha bancada por rico
Triste é notar que meus irmãos desanda
Eu vejo demônio do lado sorrindo
Então me fala o que você quiser
Não vai mudar o que tem aqui
Onde homem bate em mulher
Mas não é homem pra admitir
Não sei por que
Eu tava lá, mas me perdi
Vaguei sozinho nesse mundo agora eu quero me encontrar
Eu fui pra ver onde ia dar
Não desisti
Eu fiz, eu pude
Eu quis mudar

Eu digo falem, o que quiserem falar, meu Deus é um só
Eu falei tudo que aprendi dividi com meu povo
Falhei ao pensar que era melhor que alguém sei bem, sei bem, sei bem nada bem

Despertei de um sonho lindo, me vi num pesadelo
Reais fatos baseados, tipo um filme sem roteiro
Mas com o fim dos personagens, todos já premeditados
No relato do governo, quantos sonhos em rascunho
Tente falar com seus deuses ou então cante mais alto
Escolha um lado e desce, que esse muro aí tem dono
Não deixe que suas falas, seja escrita pelos outros
Que sua vida seja um longa, com uma revolta latina
Em território clandestino pra não ser coadjuvante
De um curta premiado com relatos da sua vida
E depois que tiver morto quantos vão sofrer calados
Se contentando no escuro ou não... eu não!

Eu digo falem, o que quiserem falar, meu Deus é um só
Eu falei tudo que aprendi dividi com meu povo
Falhei ao pensar que era melhor que alguém sei bem, sei bem, sei bem nada bem
Eu digo falem, o que quiserem falar, meu Deus é um só
Eu falei tudo que aprendi dividi com meu povo
Falhei ao pensar que era melhor que alguém sei bem, sei bem, sei bem nada bem

Composição: Leal
Enviada por Aislan.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de PrimeiraMente

Ver todas as músicas de PrimeiraMente