Lo Que No Ves

POL 3.14

Original Tradução Original e tradução
Lo Que No Ves

Antes de que amaneciera
Salí huyendo de tu cama
En tu espejo un testamento
No nos queda nada

Dejé tu barra de labios
Y con ella un par de años
De quererte por las tardes
De mañanas sin llamarte

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

Tropezamos de repente
Como en un nuevo 11-S
Sonreíste a quemarropa
Contra el filo de mi boca
Y susurraste que el pasado
Solo es como un día malo
Y la lluvia abrió las puertas
De mi vida en tu Ford Fiesta

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

No consigo recordar porque motivo me fui
Pero en tu cuarto de baño
Sigue tu rojo de labios
No consigo recordar como he llegado hasta aquí
Solo sé que estoy borrando
Lo que un día te hizo daño

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

Siempre fui poniendo parches
Negando segundas partes
Hasta que me demostraste
Que no quiero olvidarte

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

No consigo recordar porque motivo me fui
Pero en tu cuarto de baño
Sigue tu rojo de labios
No consigo recordar como he llegado hasta aquí
Solo sé que estoy borrando
Lo que un día te hizo daño

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

No consigo recordar porque motivo me fui
Pero en tu cuarto de baño
Sigue tu rojo de labios
No consigo recordar como he llegado hasta aquí
Solo sé que estoy borrando
Lo que un día te hizo daño

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

Tú me enseñas que
Se puede querer
Lo que no ves

Tú me enseñas que
Se puede querer

O Que Não Vês

Antes de que amanhecesse
Saí fugido de tua cama
Em teu espelho um testamento
Não nos sobra nada

Deixei teu batom
E com ele dois anos
De querer-te pelas tardes
E manhas sem chamar-te

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Tropeçamos de repente
Como um novo onze sem s
Sorriste a queimarroupa
Junto à borda de tua boca
E sussurraste que o passado
Só é como um dia mal
E a chuva abriu as portas
De minhas vida em teu Ford Fiesta

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Não consigo recordar porque eu me fui
Porém em teu baheiro
Segue teu vermelho dos lábios
Não consigo recordar como cheguei até aqui
Só sei que estou apagando
O que um dia te machucou

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Sempre fui pondo patch
Eram duas segundas partes
Até que me demonstraste
Que não quero esquecer-te

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Não consigo recordar porque eu me fui
Porém em teu baheiro
Segue teu vermelho dos lábios
Não consigo recordar como cheguei até aqui
Só sei que estou apagando
O que um dia te machucou

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Não consigo recordar porque eu me fui
Porém em teu baheiro
Segue teu vermelho dos lábios
Não consigo recordar como cheguei até aqui
Só sei que estou apagando
O que um dia te machucou

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Tu me ensinas que
Se pode querer
O que não vês

Tu me ensinas que
Se pode querer

Composição: Alex Pina Calafi / Enrique Mercado / Esther Martinez / Joaquin Polvorinos
Enviada por Isabel e traduzida por Rodrigo. Legendado por Mario. Revisão por Mario.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog