Dor Sem Alibi

Pedro Abrunhosa

Ver um quarto de Lua
Uma espada nua
Uma mão de terra
Coração de guerra
A bater por ti
Dor sem álibi

Rasga-me de luz
Rouba-me da cruz
Sombra de trovão
Pássaro de mão
A palpitar por ti
Dor sem álibi

Beija-me outra vez
Ninguém sabe quando a noite vem
Beija-me outra vez
Ninguém sabe quantos beijos tens

Vê, diz que eu morri
Em batalhas por aí
Encontrei-me só
Bebi chuva com pó
Vinho nunca vi
Dor sem álibi

A rua parou
Há neve e não nevou
Como principezinho
Tão sério e sozinho
Por favor sorri
Dor sem álibi

Beija-me outra vez
Ninguém sabe quando a noite vem
Beija-me outra vez
Ninguém sabe quantos beijos tens

Beija-me outra vez
Ninguém sabe quando a noite vem
Beija-me outra vez
Ninguém sabe quantos beijos tens
Ninguém sabe quando a noite vem


Posts relacionados

Ver mais no Blog