Morto

O Terno

Pode esquecer toda a razão
Também não tem mais coração
Nada será como era antes

Sua pele já apodreceu
Venderam tudo o que era seu
A sua casa tá vazia

Morto, morto, morto
Por que não vê que já morreu?
Passaram dois, dez, vinte anos
E só você não percebeu

Se você quiser acreditar
No cemitério do Araçá
Tem uma pedra com seu nome

Quando a gente morre é pra morrer
E também vale pra você
Pode esquecer suas pendências

Morto, morto, morto
Por que não vê que já morreu?
Passaram dois, dez, vinte anos
E só você não percebeu

Morto, morto, morto
Por que não vê que já morreu?
Passaram dois, dez, vinte anos
E só você não percebeu

Morto, morto, morto
Por que não vê que já morreu?
Passaram dois, dez, vinte anos
E só você não percebeu


Posts relacionados

Ver mais no Blog