Olivia

Natalia Lacunza

Original Tradução Original e tradução
Olivia

Pensaba que te estaría escribiendo a ti
Pero no quiero que esto sea una canción de amor
Vivo en tus huecos, ya no me puedo dormir

Dime que ha pasado, dime donde estamos
¿Qué es lo que quieres de mi?
Ha pasado mucho tiempo
Pero todavía recuerdo esa cicatriz

Y si es cierto que quieres saber
Dicen por ahí que la han visto bailar
Que parece que está loca
Que te mata si la tocas

Se oyen voces en el humo
Si algún día te la encuentras
Deberías seguir tu rumbo
Y olvidar, olvidar

Olvídate del aire que respira, de como camina
Las palabras de su boca que parecen dinamita
No te juntes demasiado, querrás olvidar su nombre
Querrás volver al pasado

Desde que se fue aquí todo pasa lento, lento
Todo aquel que la conoce muere en el intento, lento
Ella lleva su veneno, nunca sabe poner freno
No le digas que la quieres por que se lo lleva el viento

Y si es cierto que quieres saber
Dicen por ahí que la han visto bailar
Que parece que está loca
Que te mata si la tocas

Desde que se fue aquí todo pasa lento, lento
Todo aquel que la conoce muere en el intento, lento
Ella lleva su veneno, nunca sabe poner freno
No le digas que la quieres por que se lo lleva el viento

Olivia

Eu pensei que estava escrevendo para você
Mas eu não quero que isso seja uma canção de amor
Eu vivo em suas lacunas, eu não consigo mais dormir

Diga-me o que aconteceu, diga-me onde estamos
O que você quer de mim
Passou bastante tempo
Mas ainda me lembro dessa cicatriz

E se é verdade que você quer saber
Dizem por aí que a viram dançar
Que parece que está louca
Que te mata se você tocá-la

Vozes são ouvidas na fumaça
Se algum dia você a encontrar
Você deve seguir seu curso
E esquecer, esquecer

Esqueça o ar que você respira, como caminha
As palavras em sua boca que parecem dinamite
Não fique perto demais, você vai querer esquecer o seu nome
Você vai querer voltar ao passado

Desde que ela foi embora, tudo acontece devagar, devagar
Todo mundo que a conhece morre tentando, devagar
Ela carrega seu veneno, nunca sabe frear
Não a diga que a ama porque o vento leva as palavras embora

E se é verdade que você quer saber
Dizem por aí que a viram dançar
Que parece que está louca
Que te mata se a tocar

Desde que ela foi embora, tudo acontece devagar, devagar
Todo mundo que a conhece morre tentando, devagar
Ela carrega seu veneno, nunca sabe como frear
Não a diga que a ama porque o vento leva as palavras embora

Composição: Anxo Ferreira / Natalia Lacunza
Enviada por Stephanie e traduzida por Stephanie. Legendado por Mariana. Revisão por Astrid.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog