nana triste (part. Guitarricadelafuente)

Natalia Lacunza

Original Tradução Original e tradução
nana triste (part. Guitarricadelafuente)

Sé que hay cosas que me digo que no tienen que pasar
Se despiertan del olvido vuelven pa' hacerme llorar
Yo me quedaría contigo una, dos, tres noches más
Si no hubiera roto el hilo, ojalá volver a atrás

No te culpo de mi pena, no te culpo de mi mal
Te construiré un castillo con tus lágrimas de sal
Te cuidaba como un niño que no sabe caminar
Déjame que te proteja de lo que pueda pasar

Dame paz y dame guerra
Dame aliento, cuídame
Clavelitos en tu pelo
Los tatuajes de tu piel

Hoy supura y supura
Lo que ayer sabía a miel
Yo maldigo a mi cordura
Palomita llévame

Dame paz y dame guerra
Dame aliento, cuídame
Clavelitos en tu pelo
Los tatuajes de tu piel

Hoy supura y supura
Lo que ayer sabía a miel
Yo maldigo a mi cordura
Palomita llévame

A ti te maldigo, y a tus lágrimas de sal
A ti te maldigo, no me vas a hacer llorar
A ti te maldigo
A ti te maldigo

A ti te maldigo y a tus lágrimas de sal
A ti te maldigo, no me vas a hacer llorar
A ti te maldigo

Porque a un niño que no es mío
Nunca lo debí cuidar
Nunca lo debí cuidar
Nunca lo debí cuidar
Nunca lo debí cuidar

canção triste (part. Guitarricadelafuente)

Sei que há coisas que digo a mim mesma que não precisam acontecer
Elas surgem do esquecimento e voltam para me fazer chorar
Eu ficaria com você uma, duas, três noites mais
Se não tivesse quebrado o elo, quem me dera voltar atrás

Não culpo você pela minha dor, não culpo você pelo meu mal
Construirei para você um castelo com suas lágrimas de sal
Cuidei de você como uma criança que não sabe andar
Deixe-me protegê-lo do que pode acontecer

Me dê paz e me dê guerra
Me apoie, cuide de mim
Cravos em seu cabelo
As tatuagens da sua pele

Hoje amarga e amarga
O que ontem tinha gosto de mel
Eu amaldiçoo minha sanidade
Pombinha, leve-me

Me dê paz e me dê guerra
Me apoie, cuide de mim
Cravos em seu cabelo
As tatuagens da sua pele

Hoje amarga e amarga
O que ontem tinha gosto de mel
Eu amaldiçoo minha sanidade
Pombinha, leve-me

Eu te amaldiçoo e suas lágrimas de sal
Eu te amaldiçoo, você não vai me fazer chorar
Eu te amaldiçoo
Eu te amaldiçoo

Eu te amaldiçoo e suas lágrimas de sal
Eu te amaldiçoo, você não vai me fazer chorar
Eu te amaldiçoo

Porque uma criança que não é minha
Eu nunca deveria ter cuidado
Eu nunca deveria ter cuidado
Eu nunca deveria ter cuidado
Eu nunca deveria ter cuidado

Composição: Álvaro Lafuente / Natalia Lacunza
Enviada por Tayra e traduzida por Rafaella. Legendado por Débora. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog