Fé Pra Isso (part. Choice)

Natalhão

Favela centro do universo
Um dia me disseram favelado não tem vez
Eu demorei pra entender que isso era mentira
Eu demorei pra entender que o diabo sorria
Em cada escolha errada que a minha mente fazia
Esses mandado estão querendo o meu sangue
Querem sugar minha paz de espírito
Mas minha cabeça tá tão longe
Que hoje em dia é só fé pra isso
Alimentando esse sonho que dizem ser impossível
Mesmo sem ter o alimento da dispensa
Saindo da lama pra poder alcançar alto nível
Não pra mostrar que sou mais um como vocês pensam
Eu nunca tive que provar nada a ninguém
Parei de perder tempo quando entendi essa ideia
Que eles vão tentar tirar tudo que você tem
Ver o seu barco naufragar e ficar de plateia
Vocês se fuderam que hoje estou andando sobre as águas
Que não foi pouco, eu passei várias noites em claro
Pensando: e se essa porra não virar?
Então perdi todo meu tempo e tempo tá caro
Então perdi todo meu tempo e tempo é raro
Hoje o tempo está claro, já não olho pra trás
Única meta é um castelo pra minha rainha
Ver minha coroa com orgulho do que sua filha faz

Me diz o que você chama de fé
O que tem dentro do seu coração
Nunca vou nadar contra a maré
A lucidez nunca foi solução

Me abandonaram chorando, caído, perdido
Com medo e com frio
Sozinho, eu não tinha mais motivo pra vida
Meus olhos já tinham até perdido o brilho
Eu vi o destino e acreditei na trilha
Pela minha favela, pela minha família
Rezando pra Deus, olhando pra cima
Pedindo que ele me mostrasse um caminho

Talvez eu tenha me sentido um fora da lei
Quando eu decidi que seria bem maior que reis
Maior do que um presidente que não me representa
Ainda assim, menor que a dor que meu peito carrega

Ver meus irmão sem condição naquela situação
Pura neurose com a polícia e com os alemão
Maldito seja o sistema que normaliza isso
Metendo bala nos amigo que não merecia

Ouvindo o papo do playboy que vive a teoria
Ouvindo o papo dos cria pique terrorista
Já conhecemos o sistema, isso que ele queria
Botando o povo um contra o outro que se lucra em cima

Me diz que você chama de fé
O que tem dentro do seu coração
Eu nunca vou nadar contra a maré
É a lucidez nunca foi solução

F o jogo virou, corrente agora só se for de ouro
Correndo com os menor do morro
Morrendo e nascendo de novo
É que cês gostam do nosso estilo
Copia até o meu disfarçado
Mas não disfarça quando eu passo
Toda essa farsa virou passado
Menor com a Glock na mão é um bicho
Feroz da favela que ecoa minha voz
E esse eco é anti playboy
Levanta a mão e fala que é nós, mente de vila
Com o melhor traje malote na mão
Vira lata late, vida insana bate dez quilates
Bundas que parecem miragem
Sei que escrevo pra esquecer
Mas a linha do horizonte não vai distrair
O baile é só lança perfume tipo Rita Lee
Os pitbull no mano a mano tipo Jack Lee
As minas black empoderada pique Negra Li
Assista, filha da puta, tendo que me engolir
Assista, filha da puta, tendo que me engolir

Sempre foi questão de ambição e não de ganância
Sem enganar a infância cheia de arma de fogo
Antes fosse vaidade, mas é só matança
E vocês achando que é pelos cordão de ouro
Aviãozinho na favela mas não é LATAM
Neva tanto, playboy, pode pegar teu esqui
Droga fácil é você se sentir em Amsterdam
Surfando a onda mais foda do Havaí
O som alto da equipe te deixa eufórico
Dois tiro e ninguém corre, testaram o bico
Bebendo até quase entrar em coma alcoólico
Querendo se entorpecer até o último suspiro
Quantos homens eu vi morrer pra
Sustentar seu vício, os menor estão
Viciados em fazer dinheiro
É fácil fechar os olhos do seu edifício
Difícil edificar os que não vem primeiro

Me diz o que você chama de fé
O que tem dentro do seu coração
Nunca vou nadar contra a maré
A lucidez nunca foi solução

Hoje acordei pro que der e vier
Te conheço como a palma da mão
Uma noite frio, um cigarro, um café
O universo no verso do som
Uma noite frio, um cigarro, um café
O universo no verso do som


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Natalhão

Ver todas as músicas de Natalhão