Katrina

Menestrel

No dia frio pensam que o mundo é quente
E por pouco tempo, meu, eu quis falar mais alto
Dos designios e mares na minha frente
O pior deles foi a... que me pisou com um salto alto

Então, não me pede perdão se não sabe porque errou
Não peça ajuda se não quer ajudar
O olho do apocalipse é a sina do compositor
Mas até o criador tem seu direito de errar

Quem diria pra ti o que pode ou não pode ser?
Tão mentindo pra mim desde o dia do nascimento
Depois que eu descobri me deu vontade de crescer
Mas a cabeça do homem é um ambiente tão pequeno

O que eles mais falam não é o que mais sentem
Guardar sentimento só acumula mal pro mundo
O ser humano é porco, o ser humano é sujo
E depois que eu conheci a Terra, eu só quero voltar pro ventre

Quero olhar pro mundo do olho do furacão
Pra salvar minha alma e ter a visão do binóculo
Inóculos, peço, perdoem minha podridão
Mas é por causa disso que eu sou seu obstáculo

Quero olhar pro mundo do olho do furacão
Pra salvar minha alma e ter a visão do binóculo
Inóculos, peço, perdoem minha podridão
Mas é por causa disso que eu sou seu obstáculo

Levem comigo meu bloco de notas
Pra do alto do céu eu ainda mudar o mundo
Reconheço minha missão, ainda é póstuma
Fraciono o tempo pra ter mais segundos

Leve, eu tô leve, tô livre, tô solto
Perdendo a guerra, ganhando no jogo
Não é espaço pra porco, é espaço pra poucos
Olhos de lince banhado de esforço

Conta pra mim, coração
Como é sofrer desse ódio?
Como é a lombra do ópio?
Como é ter ódio e querer união?

Conta pra mim, coração
Como é ser tão retardado?
Como é ceder pro pecado?
Como é foder com tudo no centro da palma da mão?

Mas sei que elevaram o nível
Cospem no prato que comem e ainda acham isso incrível
Levam como maratona, eu tô pique Maradona
Sem pó na minha mesa com gol aos quarenta
E longe de beijar a lona

Peço verdades, quero verdades
Só falem verdades pra mim
Sagacidade tomando coragem
Pra tomar espaço e dizer que sim

Faça o bem sem olhar a quem
A culpa é sempre de quem convém
Meus medos vão muito além
Mas seja mais eu, que eu serei mais eu, também

Quero olhar pro mundo do olho do furacão
Pra salvar minha alma e ter a visão do binóculo
Inóculos, peço, perdoem minha podridão
Mas é por causa disso que eu sou seu obstáculo

Quero olhar pro mundo do olho do furacão
Pra salvar minha alma e ter a visão do binóculo
Inóculos, peço, perdoem minha podridão
Mas é por causa disso que eu sou seu obstáculo

Se isso não passar de sonho
Eu vou ouvir muito eu te disse
Se isso não passar de sonho
Eu vou ouvir muito eu te disse
Se isso não passar de sonho
Eu vou ouvir muito eu te disse
Se isso não passar de sonho
Eu vou ouvir muito eu te disse
E tchau

Composição: Menestrel
Enviada por João. Revisão por Carla.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog