Autobiografia Parte 1

MC Sid

Isso aqui não é uma musica, é um desabafo
Não tem flow, não tem flipada, não tem nada do que vocês querem ouvir
Mas tem tanta coisa que eu quero falar
Que eu preciso falar
Será que cês me entendem?
Acho que não
Eu também não preciso ser entendido, só escutado

Eu sempre fui a ovelha negra da familia
Que o vizinho olhava e falava que o futuro era incerto
Eu sempre fui aquele aluno nota zero
Fim da sala que nunca levava o professor a sério

Eu sempre dei muito problema pra minha mãe de criação
Educação e respeito às autoridades
Eu nunca vou entender o que é autoridade
Pois envolvem ordens e eu me sinto livre de verdade

Lembro dos meus pais brigando muito alto
E eu curioso como sempre pus ouvido na porta do quarto
Meu pai falando pra minha mãe que eu era mimado
As nota era baixa e que ela tinha me criado errado
Lembro do meu pai brindando a meu irmão que passou em medicina
Um brinde pro filho mais esforçado
Na mesma noite eu fui inventar de dizer que queria ser rapper
E arranquei risadas de tão engraçado
Eu nem tinha formado no ensino médio
Achava escola um tédio e tinha medo de ir pra faculdade
Tinha pena dos meus pais por trabalharem tão pesado
Só pra ter criado um filho tão covarde
Eu queria ser igual os meus irmãos
Educados, letrados, doutores de verdade
Mas sempre tive um amor pelo underground
A rua me encantava mais que os campus da universidade

Após um ano batalhando lembro de chamar minha mãe
Pra dar uma volta só pra gente bater um papo
Contei pra ela meu sonho de ser mc e ela me abraçou bem forte
Tentou não chorar tão alto

Ela sabia a dificuldade de uma carreira independente e do seu filho imprudente
O sucesso era incerto e o dinheiro não era certo
E a chance de fracasso, era bem mais evidente
Ela me apoiou indiferente pois a ideia de ter um filho sorridente já era suficiente
Ela não tinha em mente a ideia de que um ano depois
Eu ganharia o nacional em nome da gente
Tem quem fale que minha vitoria foi um acidente
Ou mera questão de sorte na escolha dos meus oponentes
Ninguém viveu o que eu vivi então ninguém entende
A sensação do mundo nas costas e o peito ardente

O meu lema sempre foi bola pra frente
E o engraçado é que eu sou péssimo jogando bola
Mais engraçado ainda é pensar
Que minhas letras tão na boca da favela e dentro da sala da escola

Hoje o professor me odeia pois eu incentivo as crianças a pensar fora da caixa
Hoje o deputado me odeia pois eu incentivo eleitor a votar também fora da caixa
Hoje o rapper de rua me odeia pois eu tenho orgulho da minha caminhada
O sid se acha
Hoje a minha mãe se orgulha pois eu peguei meu esforço
E fiz diferente do que todo mundo acha

Mundo me desculpa ser assim, matheus obrigado por ter tido fé em mim
Mundo me desculpa ser assim, mãe obrigado por ter tido fé em mim

Bendita é o fruto do nosso rap irmão, sempre foi
Isso aqui é uma família, é nois por nois mano


Posts relacionados

Ver mais no Blog