Dragon Quest Caboclo

Marcos Castro

Não tinha medo o tal heróI que tinham visto
Era o que todos diziam quando a luta ele venceu
Deixou pra trás sua família na fazenda
Foi apenas carregando a espada que seu pai lhe deu

Mas sua vida passou a fazer sentido
Bem quando uma entidade para ele apareceu
Dizia que a terra tinha que ser salva
De um terrível demônio que do inferno renasceu

Foi lá na igreja e curou-se por inteiro
E aproveitou a chance para o jogo salvar
Saiu da vila pela porta à sua frente
Sentia que aquilo ali não era o seu lugar

Os inimigos ele queria enfrentar
Porque ele tinha que cumprir sua missão
Juntou dinheiro para poder se equipar
De escolha própria, armadura de latão

Cruzou a estrada e chegou em outra cidade
Uma terra ocupada por um vilão opressor
Falou que ia lhe mandar pro purgatório
Disseminar o ódio, a violência e o terror

Mas no momento que pegou a sua clava
O heróI contra-atacou e lhe causou bastante dor
Ele tentou lhe dar um golpe de resposta
Mas sofreu um duro ataque, foi direto e matador

Passado o susto foi seguir o seu caminho
E encontrou um feiticeiro com quem foi falar
E o feiticeiro mostrou uma passagem por uma trilha selvagem
Que queria atravessar

Dizia ele: "está vendo essa trilha?
Eu tenho medo de morrer por lá
Mas eu preciso encontrar a minha filha
Será que você poderia me ajudar?"

O heróI aceitou sua proposta
E a floresta adentrou pra achá-la, afinal
Viu animais com tamanha ferocidade
Pareciam possuídos por um espírito do mal

"Meu Deus, essa trilha não finda,
A filha dele não consigo encontrar!"
Numa ladeira, caiu o feiticeiro
E que depois da queda viu uma restinga

Uma luz forte com uma grande intensidade
Parecia indicá-los um imenso cruzador
Um homem se apresentou como almirante
E aturdido perguntava "para onde eu vou?"

"Não sei, mas eu procuro a minha filha olívia
Não tenho ideia de onde ela está"
Bastante preocupado ele dizia
Que mais um pouco e ele iria surtar

E o almirante que de nada se lembrava
Falou para o feiticeiro que iria lhe ajudar
O seu navio estava um pouco precário
Mas que dava para o outro continente alcançar

E terminaram enfim essa conversa
E decidiram que o almirante iria acompanhar
Mas já no barco transformou-se por encanto
E o demônio, disfarçado, a maldição foi começar

Eis que surge um polvo de verdade, que com uma brutalidade
Destruiu o que tava ali
Mas o velho concentrou-se com afinco
E acabou com todos os inimigos dali.

Depois disso, navegaram para o norte
Procurar a sua filha e lhe libertar
Mas de repente
Sob uma turbulência o navio por inteiro
Começou a afundar.

O heróI tentou lutar só que cansou
Na sua morte ele pensou pela primeira vez
Mas alguém agarrou o seu corpo
"Não tenha medo, eu vou pegar você!"

Agora sei que nada está pertido
Eu estou bem protegido por algo celestial
Eu sinto uma força vitalícia,
Um poder mais possante que erva medicinal

Foi quando ele viu uma menina
Parecia a responsável pelo o que aconteceu
Era olívia, uma menina linda
E a filha do feiticeiro ele agora conheceu

Ele pensava que queria se casar
Do feiticeiro genro ele quer ser
"Querida olívia, pra sempre vou te amar
E pra sempre com você quero viver"

O dia passa e mais tarde vem na porta
Um espírito sem face com um cetro na mão
E rodeado de uma névoa tenebrosa
Ele empurra o heróI pra fora, arremessando-lhe ao chão.

E preparando o seu golpe final
O espírito elevou o cetro em sua direção
Mas o heróI apontou para as estrelas
E um poder de fogo emanou da mão

"E é melhor você ir pra longe dessa casa"
Só que o espírito evocou um venenoso escorpião
E antes de sumir, com ódio no olhar, ameaçou:
"Você perdeu sua vida, meu irmão"

"Você perdeu a sua vida meu irmão
Você perdeu a sua vida meu irmão"
Essas palavras me causaram confusão
Mas acredito na força do coração.

Só que a olívia não estava perto
Seu destino era incerto, "onde ela foi parar?"
E procurando no meio da cachoeira
Descobrira um templo construído bem nesse lugar

Era bem calmo, parecia um mosteiro
E aí o feiticeiro dirigiu-se ao altar
E uma voz surgiu dizendo que a olívia
Estava presa e condenada à guilhotina

E tudo isso, culpa do rei malaquias,
Que com o poder do seu nome, tentou se vingar
Mas na verdade, ele estava possuído
Pelo espírito do mal que o heróI quer derrotar

E o heróI que está no level 22
Magia nova já sabia conjurar
E decidiu usar a mana só depois
Que malaquias começasse a enfrentar

Malaquias, um tirano sem-vergonha
Organizou um exército para o mundo dominar
Escravizava pessoas inocentes
E queimava vilarejos sem um pingo de pesar

E o heróI pensou em voltar para casa
Pra sua família do tirano preservar
"Vamos embora, é preciso ter astúcia
Não temos tempo, antes dele vou chegar"

Chegando em casa então ele chorou
Era um inferno em plena terra o que o tirano fez
Com uma espada malaquias o matou
E o seu pai foi morto de uma vez

O heróI era só ódio por dentro
E então o malaquias pro duelo ele chamou
De repente uma energia se expande ali
E prende-o com uma força, que o apagou

Quando acorda, não acha suas armas
Mesmo assim acabo com você, seu porco traidor
Mas vejo aqui mais de uma dúzia
De inimigos revoltados que querem tocar o terror

E nosso heróI não sabia o que fazer
Quando o grifo veio em sua direção
E o heróI pensou que não fosse viver
Mas algo novamente foge-lhe a razão

Bem rápida, então, vindo de fora
Uma aura poderosa fez o heróI reagir
O heróI, que procurava por respostas
Quando viu que era olívia, começou a sorrir

Um grito vem forte da garganta
E o grifo, assustado, resolveu tentar fugir
E juntou-se ao feiticeiro e à sua filha
Começaram a correr pra tentar sair dali

E nessa luta encheu-se de esperança
E pensou no que vivera até ali
E decidiu entrar de vez naquela dança
"Minha missão eu vou cumprir até o fim"

E nisso diante do seus olhos
O demônio malaquias a ele apareceu
E revelado na sua forma nível 2
O início da batalha se deu

"Malaquias, tenho alma, coisa que você não tem
E não mato inocentes, não
E isso tudo é tua culpa, sem-vergonha
Derramar todo esse sangue te transforma num vilão"

E o heróI, já no level 32
Usou sua mana pra dar um golpe vencedor
Junto com olívia que conjurou depois
Uma magia pra acabar com o opressor

E o povo declarava que o heróI que tinham visto
Era santo porque o demônio venceu
E todos que viviam na cidade
Espalharam a história que eles viram acontecer

Nosso heróI conseguiu o que queria
E ao casar-se com olívia, foi feliz viver
E a missão ele cumpriu completamente
Ajudando essa gente a nunca mais...

Sofrer...

Composição: Marcos Castro
Enviada por Guilherme. Legendado por 100%. Revisão por Tadeu.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog