Nero

Maldita

Doutor se fosse a volúpia da sua filha violada no império romano?
Me diga o que você faria no apocalipse de São João?
Mitologia, magia negra, eu nunca disse que seria fácil
Se deleita no império com um banho de moscas
E dá a luz a uma ninhada de ratos.

Eu abracei aquela velha causa macabra, igual ao velho que tomava cachaça
Que cometeu um erro médico e estuprou a filha viciada em livros de Kafka.

E seu rosto era um emaranhado de tripas
E seu nome era Nero!
E seu delírio megalomaníaco
Vivissecção!
O dia inteiro, o dia inteiro
Em manicômios e conventos e prisões
Perverso!
O imperador mais odiado, filho daquela piranha!
Piranha!
Em nome di patre, de filho, espírito santo e avete cezare imperatoria.

Doutor se fosse o cú da sua mãe sendo chupado o dia inteiro?
Me diga o que você faria no apocalipse de São João?
O imperador tem a palavra sagrada e está fazendo apologia ao crime
E carrega no seu sangue os genes recessivos de Calígula e outros regimes.

Eu abracei aquela velha causa macabra, igual ao padre que alisava crianças
Que fazia confissões e portava na bíblia o dinheiro que ficou na alfândega.

Nero!
E seu delírio megalomaníaco
Vivissecção!
O dia inteiro, o dia inteiro
Em manicomios e conventos e prisões
Perverso!
O imperador mais odiado, filho daquela piranha!
Piranha!
Em nome di patre, de filho, espírito santo e avete cezare imperatore

Em um império onde eu não vejo mais salvação
Abram as portas para o fogo
E deixem os inocentes queimarem!

Enviada por polami. Legendado por MACIEL. Revisão por douglas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Maldita

Ver todas as músicas de Maldita