Qual Sua Aposta?

Lucas Lima

Cidade morna normal entorna
Ao mesmo tempo que forma
Tudo em nossa volta se torna
Trem lotado é o dilema sem reforma

Peso nas costas sorriso desbota
Empacota e engloba a gente em cotas
E aumenta as contas impostas
Contra aposta composta
Qual sua aposta?

Em

A vida é composta de apostas
Compostas opostas
Composto esse esboço vivencial
Tudo aqui é oposto ou igual?

Você aposta no que é do seu gosto
De agosto à agosto mudasse os gostos

Tem quem perde o sorriso no rosto
Por não aprender lidar com os outros?

Tem quem ganha rindo os impostos
Malditos esses políticos porcos

Tem quem nem sabe o verdadeiro rosto
Aí é osso!

Eu, no meu decorrer
Tento aprender
Aonde vou me prender

Nisso aposto que a vida é uma aposta
Aposto no amor e não tenho medo da volta
Sei que ele nunca esgota... e a vida brota!

Complexo em cada reflexo de luz
Completo o amor que lhe conduz
Compreendo a dor que me faz jus
Me rendo a mulher que me seduz

Vaidade apaga a luz e o senso
Tendo e sendo? Depende penso?
Se rende si prende propenso
Pensamentos te tornam tenso!

Vida morna entorna tudo à sua volta
Ida moderna te torna ou solta?

A fita rebobina, volta a sina
Programam corações com bina

Destroços dos nossos é o sinal
Que ta andando tudo mal, parece normal?

Demasiado habitual se tornando ritual
Dessa sociedade moderna atual

Em seus enganos astral, ganhos e planos?
Não se esqueçam, são todos seres humanos!

Pode pá

O verso é o percurso do curso desse rio
Não se afogue ouviu? Se viu sentiu

Pois sou o fogo desse pavio viu
Pras ideia incendiar, se me ouviu!

Então me fale
Suporta tudo que importa?

Não si abale
Se lhe fecham a porta

Ouça atentamente essa nota

Nunca si entregue a derrota
Sua vitória prossegue e importa!

Composição: Lucas Lima
Enviada por Lucas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog