Vediamo Che Succede

Lorenzo Fragola

Original Tradução Original e tradução

Tradução automática via Google Translate

Vediamo Che Succede

Il prezzo è troppo caro, non cambio compagnia
Ti prego non insistere non posso mica scegliere
Ho una nuova suoneria, tu portami via
Tutto gira storto, avrò contro Marte e Venere
Scappo dalla polizia
Dal vizio che ho di eccedere, lo sai che può succedere
Ora che tu non sei più mia
Mi sdraierò su un muro sopra il Tevere

E adesso che non soffia neanche il vento
Ed io respiro a stento, spesso ti confondo
Tra le linee dell'asfalto
E brucia il marciapiede, vediamo che succede
Si vede che non mi diverto
Perché mi manchi troppo, il tuo respiro addosso
Come acqua nel deserto ed io non lo sopporto

Spezzo la monotonia con un litro di Sangria
Ti chiedo se vuoi bere, mi chiedi se sto bene
Ma come vuoi che stia, ho il cuore elastico di Sia
Che prima o poi si spezza come brezza in Tunisia
Ma tu portami via
Dal vizio che ho di eccedere e di perdermi nel credere
Che sei ancora mia
Forse posterò una foto sopra il Tevere

E adesso che non soffia neanche il vento
Ed io respiro a stento, spesso ti confondo
Tra le linee dell'asfalto
E brucia il marciapiede, vediamo che succede
Si vede che non mi diverto
Perché mi manchi troppo, il tuo respiro addosso
Come acqua nel deserto ed io non lo sopporto

Ma tu portami via
Dal vizio che ho di eccedere e di perdermi nel credere
Che sei ancora mia
Forse posterò una foto sopra il Tevere

E adesso che non soffia neanche il vento
Ed io respiro a stento, spesso ti confondo
Tra le linee dell'asfalto
E brucia il marciapiede, vediamo che succede
Si vede che non mi diverto
Perché mi manchi troppo, il tuo respiro addosso
Come acqua nel deserto ed io non lo sopporto

Vamos ver o que acontece

O preço é muito caro, eu não mudo de empresa
Por favor, não insista eu não posso escolher
Eu tenho um novo toque, você me leva
Tudo dá errado, eu terei contra Marte e Vênus
Fuja da polícia
Do vício que tenho que superar, você sabe que pode acontecer
Agora você não é mais minha
Eu vou deitar em uma parede acima do Tibre

E agora que o vento não está soprando
E eu respiro com dificuldade, muitas vezes confundo você
Entre as linhas de asfalto
E queima a calçada, vamos ver o que acontece
É óbvio que eu não me divirto
Porque eu sinto muito sua falta, sua respiração em mim
Como a água no deserto e eu não aguento mais

Eu quebro a monotonia com um litro de sangria
Eu te pergunto se você quer beber, você me pergunta se eu estou bem
Mas como você quer que eu seja, eu tenho o coração elástico de Sia
Que mais cedo ou mais tarde ele quebra como uma brisa na Tunísia
Mas você me leva embora
Do vício que tenho que superar e me perder acreditando
Que você ainda é minha
Talvez eu poste uma foto acima do Tibre

E agora que o vento não está soprando
E eu respiro com dificuldade, muitas vezes confundo você
Entre as linhas de asfalto
E queima a calçada, vamos ver o que acontece
É óbvio que eu não me divirto
Porque eu sinto muito sua falta, sua respiração em mim
Como a água no deserto e eu não aguento mais

Mas você me leva embora
Do vício que tenho que superar e me perder acreditando
Que você ainda é minha
Talvez eu poste uma foto acima do Tibre

E agora que o vento não está soprando
E eu respiro com dificuldade, muitas vezes confundo você
Entre as linhas de asfalto
E queima a calçada, vamos ver o que acontece
É óbvio que eu não me divirto
Porque eu sinto muito sua falta, sua respiração em mim
Como a água no deserto e eu não aguento mais


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Lorenzo Fragola

Ver todas as músicas de Lorenzo Fragola