Woman (Reading)

La Dispute

Original Tradução Original e tradução
Woman (Reading)

You in the living room
You on a tuesday afternoon
A breeze seen when the curtains move

You by the window with both feet up on the couch
Where you sit and you read and I watch you

From the office the sunlight frames your silhouette
I think of lighting fireworks, I think of pirouettes
I idly write down observations on the scene
Like do the blueprints name the rooms alone?
Do we name them on our own?
We hardly live in there

You with a book propped on your knees
A breeze seen in your coffee steam

I’m in the office thinking back to rules of poetry
It’s fourteen lines, the last two rhyme, what does pentameter mean?

You in the living room
Legs bent at forty-five degrees

I write ab ab, try to find your rhyme scheme
I look for objects on the desk with which to sculpt your image best
What would I name this could I paint it Woman (Reading)? Girl (At Rest)?

I remember it so well watching you shifting your weight, turning the page, I can see it all there
Inside a living room where only I live and never go in
A role in name alone

And I pause where I am for a second when I hear your name
Sometimes I think I see your face in improbable places
Do those moments replay for you?
When I’m suddenly there and then won’t go away
When you’re sitting in the living room reading for the afternoon
Do you put your book down look and try to find me there?

Sometimes I think of all the people who lived here before us
How the spaces in the memories you make change the room from just blueprints
To the place where you live

When you leave here
When you go from a home
You take all that you own but the memories echo

On hardwood floor in the living room
Tore the carpet the scratches below that we found
And the wine stain on the couch
We got drunk and decided we’d still try to move it around
And I can’t tell what the difference is between the ones that we made and the ones that we didn’t make
They all conjure images still
Where you sit and you read in the sunlight aware that I watch

And I live alone now
Save for the echoes

I live alone now
Save for the echoes

Mulher (leitura)

Você na sala de estar
Você em uma tarde de terça
Uma brisa vista quando as cortinas se movem

Você perto da janela com os dois pés em cima do sofá
Onde você se senta e você lê e eu te vejo

Do escritório, a luz do Sol enquadra sua silhueta
Eu penso em iluminação de fogos de artifício, penso em piruetas
Eu escrevo ociosamente observações sobre a cena
Como os projetos nomeiam os quartos sozinhos?
Nós os nomeamos sozinhos?
Nós dificilmente moramos lá

Você com um livro apoiado nos joelhos
Uma brisa vista no seu vapor de café

Eu estou no escritório pensando nas regras da poesia
São quatorze linhas, as duas últimas rimas, o que significa pentâmetro?

Você na sala de estar
Pernas dobradas a quarenta e cinco graus

Eu escrevo ab ab, tento encontrar o seu esquema de rimas
Eu procuro objetos na mesa para esculpir melhor sua imagem
O que eu nomearia isso poderia pintá-lo "Mulher (leitura)?" "Garota (em repouso)?"

Eu me lembro tão bem vendo você mudando seu peso, virando a página, eu posso ver tudo lá
Dentro de uma sala onde só eu moro e nunca vou em
Um papel no nome sozinho

E eu paro onde estou por um segundo quando ouço seu nome
Às vezes eu acho que vejo seu rosto em lugares improváveis
Esses momentos repetem para você?
Quando eu estou de repente lá e depois não vou embora
Quando você está sentado na sala lendo para a tarde
Você coloca o seu livro para baixo e tenta me encontrar lá?

Às vezes penso em todas as pessoas que viveram aqui antes de nós
Como os espaços nas memórias que você faz mudam a sala de apenas plantas
Para o lugar onde você mora

Quando você sair daqui
Quando você sai de uma casa
Você pega tudo o que você possui, mas as lembranças ecoam

No chão de madeira na sala de estar
Rasgou o tapete os riscos abaixo que encontramos
E o vinho mancha no sofá
Nós ficamos bêbados e decidimos que ainda tentaríamos mudar isso
E eu não sei dizer qual é a diferença entre os que fizemos e os que não fizemos
Todos eles evocam imagens ainda
Onde você se senta e lê à luz do Sol ciente de que eu assisto

E eu moro sozinho agora
Economize para os ecos

Eu moro sozinho agora
Economize para os ecos

Enviada por fia e traduzida por Leonardo. Legendado por Leandro. Revisões por 6 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de La Dispute

Ver todas as músicas de La Dispute